Encontro Nacional do PT sepulta o 'Volta Lula', diz ministro Gilberto Carvalho

Por Vasconcelo Quadros | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Chefe da Secretaria-Geral da Presidência admite decepção com a adesão de alas do próprio PT ao movimento que pede a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, afirmou em entrevista ao iG que o Encontro Nacional do PT, marcado para acontecer nesta sexta-feira e sábado na cidade de São Paulo, vai sepultar definitivamente o movimento “Volta Lula”, consolidando a decisão do partido pela candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República.

Elza Fiuza/Agência Brasil
Para Gilberto Carvalho, adesão de "companheiros" ao movimento faz parte da tensão pré-campanha

“O Volta Lula já está totalmente sepultado. A chance é zero”, afirmou o ministro à reportagem, durante o ato do Dia do Trabalho, promovido pela Força Sindical em São Paulo na quinta-feira (1º). Ele disse não ter dado tanta importância ao ato da bancada do PR na Câmara - que pediu o retorno da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao trocar a foto de Dilma numa das paredes da sala da liderança partido -, mas se mostrou aborrecido com o “fogo amigo”.

Na quarta: Para Berzoini, "Volta Lula" não faz sentido

“O pior é ver companheiros de meu próprio partido pensando assim”, disse ele, num recado aos petistas que ainda alimentam o movimento. De acordo com Carvalho, o sentimento faz parte da tensão pré-campanha e deve acabar nos próximos dias, com o desenrolar da pré-campanha.

O ministro lembrou que o próprio Lula tem repetido insistentemente que não será candidato agora. “Quero que o Lula volte em 2018”, afirmou o ministro, ironizando o sentido das articulações pela candidatura do ex-presidente este ano: “É como o Volta Jesus”, disse.

Leia também: Dilma diz que "tocará em frente" mesmo sem apoio da base

O ministro afirmou que o importante é o PT mostrar, assim que as campanhas eleitorais começarem, que as medidas adotadas pelo governo tem melhorado a vida da população.

O Encontro Nacional do PT começa na manhã de sexta em meio ao fogo cerrado das oposições para minar a candidatura de Dilma e forçar um segundo turno nas eleições presidenciais deste ano.

Pesquisa CNT: Dilma cai sete pontos e tem 37% das intenções de voto, diz pesquisa

O esforço oposicionista contou com dois episódios péssimos para o governo: Dilma caiu para 37% na preferência do eleitorado e a bancada do PR, partido da base, divulgou esta semana um manifesto pelo “Volta Lula”, forçando a presidente a reafirmar sua candidatura com base na fidelidade recíproca com seu principal cabo eleitoral.

O encontro reunirá no Anhembi, na nona norte da capital, cerca de 800 delegados do PT eleitos no Processo de Eleições Diretas (PED) no ano passado, que definirão as diretrizes do novo programa de governo de Dilma, táticas e estratégias eleitorais. Lula e Dilma farão a abertura oficial do evento, na sexta-feira à noite.

Leia tudo sobre: Lulaptcongresso nacionalgilberto carvalhoeleiçõeseleições 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas