Proposta teve voto favorável de 46 dos 55 vereadores. Ontem, movimentos de moradia entraram em confronto com PMs

O projeto do Plano Diretor Estratégico de São Paulo foi aprovado nesta quarta-feira (30) em primeira votação um dia após os protestos de movimentos por moradia em frente à Câmara Municipal. A proposta recebeu o voto favorável de 46 dos 55 vereadores. Apenas dois vereadores votaram contra o projeto.

São Paulo: PM e manifestantes entram em confronto em frente à Câmara Municipal

Ontem manifestantes sem-teto, a Polícia Militar (PM) e a Guarda Civil Metropolitana (GCM) entraram em confronto no final da tarde após o adiamento da votação. O grupo reivindicava a aprovação urgente do novo plano, em tramitação na Câmara desde setembro do ano passado. Os manifestantes atearam fogo a pneus e lixeiras e também atiraram objetos contra as portas e janelas da sede da Câmara, localizada no centro da capital.

Com galeria lotada, vereadores aprovam Plano Diretor em 1ª votação
Taba Benedicto/Futura Press
Com galeria lotada, vereadores aprovam Plano Diretor em 1ª votação



O texto aprovado é o substitutivo apresentado pelo relator Nabil Bonduki (PT) na Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente. O acordo entre os vereadores é que o texto ainda poderá ser alterado por emendas protocoladas até a votação definitiva - o regimento da Câmara determina que as matérias sejam aprovadas em dois turnos, com pelo menos 48h de intervalo entre os dois pleitos.

A votação foi acompanhada de perto por integrantes do movimento de moradia da cidade, que lotaram as galerias do plenário e fecharam o viaduto Jacareí, em frente à Câmara. Ao contrário de ontem, quando militantes entraram em confronto com a polícia, não houve nenhum registro de violência relacionado à manifestação.

Agora, a proposição precisa passar novamente pelo plenário antes de seguir para a sanção do prefeito Fernando Haddad.

Veja imagens do protesto de ontem


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.