Renan diz que vai instalar CPI da Petrobras, mas entrará com recurso no STF

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente do Senado pediu a líderes partidários que indiquem os membros da comissão que vai investigar a Petrobras

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu nesta terça-feira a líderes partidários que indiquem os membros que vão integrar a CPI da Petrobras, mas anunciou que apresentará recurso sobre decisão da ministra Rosa Weber, do STF, que determinou instalação da investigação exclusiva da estatal. A ministra do STF concedeu, na semana passada, liminar a pedido da oposição para que seja instalada uma CPI exclusiva para investigar denúncias contra a estatal.

Petrobras: Partidos de oposição cobram instalação imediata da CPI

Renan: Senado vai recorrer de decisão que determina CPI exclusiva da Petrobras

“Nós acatamos a decisão do STF, embora liminar, e pedi a indicação aos líderes para que a comissão possa ser instalada na próxima terça-feira (6)”, disse o presidente. Os trabalhos da CPI vão investigar denúncias de um suposto superfaturamento na compra pela Petrobras de uma refinaria em Pasadena (EUA).

O presidente do Senado convocou ainda uma reunião, também na próxima terça-feira, com os líderes do Senado e da Câmara para definir os procedimentos em relação ao pedido de criação de uma comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) sobre o mesmo assunto. Renan admitiu que, desde o princípio, os oposicionistas declararam o interesse de que a investigação fosse conjunta das duas casas, e não apenas do Senado.

“Qualquer decisão do presidente do Congresso Nacional de que uma CPI deve se sobrepor a outra não deixa de ser uma decisão política. Então, para que essa decisão política seja tomada, eu estou convocando uma reunião para definir o calendário com os líderes partidários”, disse Renan.

Com Reuters e Agência Brasil

Leia tudo sobre: cpi da petrobrasrenan calheiros

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas