Com a aliança, ex-governador de Pernambuco tenta capitalizar os 20 milhões de votos obtidos pela ex-senadora em 2010

O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos oficializou nesta segunda-feira (14) a candidatura à Presidência da República pelo PSB com a ex-senadora Marina Silva como vice-presidente. Com a aliança, Campos tenta capitalizar os cerca de 20 milhões de votos obtidos por Marina em 2010. "Ao meu lado , você não estará só na campanha, mas estará no governo”, disse o ex-governador na cerimônia.

Leia mais: Campos traça plano para tirar melhor proveito da imagem de Marina

Campanha: Campos e Marina aparecem juntos em propaganda do PSB

O evento, que aconteceu no Hotel Nacional de Brasília, teve a participação de vários políticos, inclusive de outros partidos que buscam aliança com o PSB em seus Estados. É o caso de Miro Teixeira (PROS-RJ), Pedro Taques (PDT-MT) e Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). Também estava presente o escritor Ariano Suassuna, presidente de honra do partido de Campos.

Campos e Marina oficializam aliança para as eleições presidenciais
Alan Sampaio / iG Brasília
Campos e Marina oficializam aliança para as eleições presidenciais


Sobre o ato desta segunda-feira, Marina disse que representa a passagem da aliança de uma união programática para um projeto eleitoral. "A política não pode ser orientada pela lógica da governabilidade baseada na distribuição de cargos. A política não pode ser empecilho para o avanço do país. A política precisa ser a força impulsionadora das mudanças e das transformações”, afirmou a ex-senadora.

“Estamos finalizando aqui uma grande aliança programática entre o PSB e a Rede para que no futuro próximo possamos oferecer uma alternativa para o Brasil”, afirmou a deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP). Campos e Marina anunciaram a aliança em outubro do ano passado, depois que a ex-senadora não conseguiu viabilizar a Rede Sustentabilidade a tempo de disputar a Presidência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.