PF apreende documentos na sede da Petrobras

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Polícia cumpre 21 mandados expedidos pela Justiça no âmbito da Operação Lava-Jato, que prendeu ex-diretor da estatal

A Polícia Federal esteve nesta sexta-feira na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, realizando buscas de documentos no âmbito da Operação Lava-Jato, que investiga lavagem de dinheiro. A busca ocorre após a polícia ter prendido, em 20 de março, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef. A estimativa é que a quadrilha tenha movimentado mais de R$ 10 bilhões.

De acordo com nota emitida pela PF, a estatal havia sido intimada previamente e colaborou com os agentes, o que afastou a necessidade de recorrer a mandados de busca e apreensão. "A presidência da Petrobras colaborou com os policiais federais apresentando os documentos, que foram apreendidos e contribuirão para a continuidade das investigações."

1ª fase da Lava-Jato: PF prende 24 e apreende obras de arte

Conselho de Ética: Izar pedirá à PF informações sobre Vargas e doleiro

Em comunicado, a Petrobras informou que um delegado e três agentes da Polícia Federal foram recebidos pela presidenta da estatal, Graça Foster, em uma sala de reunião. De acordo com a nota, Graça Foster acionou a Gerência Jurídica da companhia para colaborar imediatamente com o cumprimento da ordem judicial. Sem revelar quais foram os documentos apreendidos, a Petrobras informou que eles são referentes a uma contratação específica.

São cumpridos no total 21 mandados expedidos pela Justiça Federal: dois de prisão temporária, seis de condução coercitiva e quinze de busca e apreensão. A operação acontece nas cidades de São Paulo, Campinas (SP), Rio de Janeiro, Macaé (RJ) e Niterói (RJ).

Veja imagens da 1ª fase da Operação Lava-Jato

PF apreende farta quantia de reais e dólares no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/Polícia FederalPF apreendeu grande quantidade de dinheiro em cofre na cidade de Londrina, no Paraná. Foto: Divulgação/Polícia FederalEntre os crimes investigados estão contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos. Foto: DivulgaçãoSão cumpridas também ordens de seqüestro de imóveis de alto padrão, além da apreensão de patrimônio adquirido por meio de práticas criminosas. Foto: DivulgaçãoCarro de luxo apreendido pela PF. Foto: DivulgaçãoEntre os bens apreendidos, foram encontradas obras de arte no Paraná. Foto: Divulgação/PFPosto de combustível no DF onde foram feitas apreensões. Foto: Divulgação/PFOperação Lava Jato da Polícia Federal. Foto: Divulgação

A PF solicitou os mandados para buscar documentos que auxiliem os trabalhos da investigação. O material arrecadado contribuirá para os relatórios finais dos inquéritos em andamento, segundo a polícia.

A operação, deflagrada em 17 de março, foi intitulada Lava-Jato porque o grupo usava uma rede de lavanderias e postos de combustíveis para movimentar os valores. A organização contava com quatro grupos que tinham à frente doleiros que lucravam com câmbio paralelo ilegal, mas também praticavam crimes como tráfico de drogas, exploração e comércio ilegal de diamantes e corrupção de agentes públicos, entre outros.

Com Reuters e Agência Brasil

Leia tudo sobre: petrobrasoperação lava-jato

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas