Vargas renuncia ao cargo de vice-presidente da Câmara após abertura de processo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Conselho de Ética abriu processo para investigar a relação do deputado petista com doleiro preso pela PF. 'Tomo esta decisão para que possa me concentrar em minha defesa', diz o petista

O deputado licenciado André Vargas (PT-PR) renunciou nesta quarta-feira (9) ao cargo de 1º vice-presidente da Câmara. A renúncia acontece no mesmo dia em que o Conselho de Ética da Casa decidiu abrir processo para investigar a sua ligação com o doleiro Alberto Youssef, preso em operação da Polícia Federal contra lavagem de dinheiro. Vargas enviou a carta abrindo mão da vice na Câmara ao líder do partido, deputado Vicentinho (PT-SP). Ele, no entanto, preserva o mandato parlamentar.

Conselho de Ética: Processo vai investigar Vargas por elo com doleiro preso

Abertura de processo: Júlio Delgado será o relator do caso Vargas

Poder online: Em reunião, comando petista discutirá futuro de André Vargas

Na carta, Vargas disse que renuncia para se dedicar à sua defesa e não prejudicar o andamento dos trabalhos da Mesa. Vicentinho disse que Vargas será investigado também pelo partido, mas descartou que ele venha a ser expulso. "Não podemos condenar uma pessoa antes do julgamento", disse.

Alan Sampaio / iG Brasília
André Vargas (PT-PR) renuncia ao cargo de vice-presidente da Câmara

Com a renúncia, uma nova eleição deverá ser convocada para preencher a vaga deixada na Mesa Diretora. A data da nova eleição será definida pelo presidente da Casa, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Vicentinho disse que a bancada ainda vai indicar o nome para concorrer ao cargo.

Conselho de Ética

Nesta quarta-feira, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar instaurou processo por quebra de decoro contra Andre Vargas, licenciado do cargo desde segunda-feira. O processo disciplinar terá prosseguimento. Logo após sua indicação para a relatoria, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) adiantou que seu parecer preliminar, a ser apresentado no próximo dia 22, será pela admissibilidade da representação proposta pelo PSDB, DEM e PPS.

Vargas: Alvo de denúncia, vice-presidente da Câmara pede licença de 60 dias

Leia a íntegra da carta do deputado

Renuncio à vice-presidência da Câmara

Em virtude da decisão tomada hoje pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, pela instauração de procedimento de apuração de denúncias apresentadas contra mim, decidi apresentar minha renúncia à vice-presidência desta Casa.

Tomo esta decisão para que possa me concentrar em minha defesa perante o Conselho e para não prejudicar o andamento dos trabalhos da Mesa Diretora, e também de preservar a imagem da Câmara, do meu partido e de meus colegas deputados.

Tenho enfrentado um intenso bombardeio de denúncias e ilações lançadas em veículos de imprensa baseadas apenas em vazamentos ilegais de informações, as quais terei agora a oportunidade de esclarecer, apresentando minha versão - a verdade - a respeito de tudo que vem sendo divulgado.

Enfrentarei tranquilamente este processo na certeza de que provarei, ao final, que não cometi nenhum ato ilícito. Sigo com muito orgulho de minha história política e minha luta, ao lado de tantos companheiros, em defesa do povo paranaense e pela construção de um Brasil melhor.

Brasília, 9 de abril de 2014.
Andre Vargas

Com Agência Câmara

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas