Sem liberação de Dilma e candidata à reeleição, ministra prioriza Rio Grande Sul

Por Luciana Lima e Wilson Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Da agenda de Maria do Rosário constam atividades inusitadas para a pasta de Direitos Humanos como assinaturas de contratos de rede de esgoto e repasse de verbas a hospitais

Candidata à reeleição como deputada federal e sem ter sua liberação do cargo anunciada pela presidente Dilma Rousseff (PT) na reforma ministerial, a ministra de Direitos Humanos, Maria do Rosário, focou sua agenda oficial em atividades no Rio Grande do Sul. Em janeiro, fevereiro e março deste ano, Rosário participou de eventos em seu Estado que vão desde a assinatura de contratos de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), abertura de ano letivo e até formatura de turmas de curso técnico em vendas no interior do Estado.

Fevereiro: Maria do Rosário troca encontro com ministro da Noruega por Festa da Uva

Durante os meses de janeiro, fevereiro e março, a ministra voou dez trechos em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), entre Brasília e cidades gaúchas. Ela participou de 26 compromissos em cidades como Porto Alegre, Canoas, Uruguaiana, São Borja, Itaqui e Santiago.

Agência Brasil
A secretaria de Direitos Humanos afirmou que “por ser natural e residente no Rio Grande do Sul, a ministra é constantemente convidada a representar o Governo Federal"

Por meio de nota oficial, a Secretaria de Direitos Humanos informou que “por ser natural e residente no Rio Grande do Sul, a ministra é constantemente convidada a representar o governo federal em atividades que envolvem políticas e investimentos federais nas mais diversas áreas no Estado”.

Entre os ministros que vão disputar eleições neste ano, somente Maria da Rosário não foi substituída na pasta. O prazo final para desincompatibilização da pasta termina no próximo dia 4 de abril.

Leia mais: Multas baixas e brechas na lei compensam propaganda eleitoral antecipada

No início do ano, a presidente Dilma Rousseff cogitou transferir para o lugar de Maria do Rosário, a atual ministra de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci. Nem Eleonora aceitou a tarefa nem o PT concordou, já que a corrente interna do partido a qual Rosário pertence, não aceitou perder sua representação na Esplanada.

A ministra ainda trabalha para manter o controle do ministério e emplacar em seu lugar a atual secretária-executiva, Patrícia Barcelos, também filiada ao PT.

Agenda

Em janeiro, depois de ter ficado de férias até o dia 8, Rosário iniciou sua agenda no Rio Grande do Sul na manhã no dia 18, sexta-feira, participando em Porto Alegre da inauguração do Centro de Referência em Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul.

Algumas atividades, divulgadas na agenda oficial da ministra, são inusitadas para a titular da pasta. De acordo com informações da SDH, ela participou no sábado, 18 de janeiro, da assinatura do contrato de ampliação da rede de água de Capão da Canoa, município do litoral gaúcho.

A obra, orçada em R$ 48 milhões, é fruto de um convênio entre a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e a Secretaria de Habitação e Saneamento (Sehabs) com o Ministério das Cidades por meio da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e integra a lista de projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) II.

Ainda no dia 18, a ministra também participou da assinatura de mais dois outros contratos: um de ampliação de rede de esgoto, para o município de Tramandaí, a 118 quilômetros de Porto Alegre. A obra, orçada em R$ 39 milhões, também é fruto de convênio entre a Corsan/Sehabs e Ministério das Cidades com recursos do PAC e nada tem a ver com as atividades da SDH.

Outra solenidade no dia 18 foi de aumento de repasses ao Hospital de Tramandaí. A assinatura do convênio teve o objetivo de repassar R$ 8,2 milhões/ano ao local que passará a ser integralmente destinado à pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), gerido pelo Ministério da Saúde.

A ministra retornou a Brasília na segunda-feira (20) cumpriu agenda de trabalho, mas na manhã de terça-feira, 21 de janeiro, já estava novamente no Rio Grande do Sul, mais especificamente em Canoas, município da região metropolitana de Porto Alegre, para participar da abertura oficial do Fórum Mundial de Educação Temático e da VI Marcha Estadual Pela Vida e Liberdade Religiosa do Rio Grande do Sul.

A semana seguiu no Rio Grande do Sul com palestras da ministra em Canoas, na quarta-feira (23) e na quinta, de acordo com a agenda oficial, participou da assinatura da “Agenda de Convergência para Proteção das Crianças e Adolescentes na Copa do Mundo”, uma atividade realizada no Estádio Beira Rio, em Porto Alegre.

Em fevereiro a agenda de Maria do Rosário no Rio Grande do Sul também foi intensa. A agenda oficial da ministra indica que ela participou no dia 10, segunda-feira, de uma visita ao futuro Memorial sobre Memória e Verdade, em Porto Alegre.

No dia seguinte, a ministra se dedicou a reuniões com secretários do governo de Tarso Genro, entre eles, o de Cultura, Luiz Antonio de Assis Brasil e o de Apoio à Micro e Pequena Empresa, Maurício Dziedricki. , do Rio Grande do Sul.

Festa com Dilma

Já no dia 20 de fevereiro, Maria do Rosário acompanhou a presidente Dilma Rousseff em viagem ao Rio Grande do Sul. Além de visitar o estádio Beira Rio, A ministra também acompanhou a presidente na abertura da Festa da Uva, em Caxias do Sul.

A participação da presidente na festa da Uva serviu como despedida para o petista Pepe Vargas que deixou o Ministério de Desenvolvimento Agrário para concorrer à reeleição como deputado federal. No evento, o ex-ministro entregou máquinas agrárias para prefeitos gaúchos, atividade que consta na agenda da ministra.

No dia 21 de fevereiro, Maria do Rosário participou da “abertura do ano letivo” no município de Imbé, no interior do Rio Grande do Sul, e fez duas visitas em Canoas: a primeira a uma delegacia e outra à Federação Afroumbandista e Espiritualista do Rio Grande do Sul.

No Carnaval, a agenda da ministra não parou. Depois de lançar no Rio de Janeiro a Campanha de Enfrentamento à Violência Contra Crianças e Adolescentes 2014, uma ação voltada para o Carnaval, editou a mesma atividade, no dia seguinte, no Carnaval do centro de Porto Alegre.

Em março, a ministra participou, na quinta-feira passada, de duas aulas magnas, uma em Uruguaiana e outra em São Borja . ela também se reuniu no mesmo dia com o prefeito de Itaqui, Gil Marques Filhos. Na sexta-feira, a ministra participou de uma solenidade de formatura das turmas “Técnico em Vendas, Informática e Agricultura”, como comemoração alusiva ao 1º ano do Campus do Instituto Federal Farroupilha e de uma reunião com o prefeito de Santiago, Júlio Ruivo.

Em resposta ao iG, a Secretaria de Direitos Humanos informou que “a ministra cumpre agenda representando a área de Direitos Humanos do Governo Federal em todo o país e também no exterior. Somente nestes três primeiros meses de 2014 a ministra já esteve em compromissos oficiais em quatro unidades da federação e na Suíça, por ocasião de reunião do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, realizada em Genebra”. A secretaria acrescentou que “por ser natural e residente no Rio Grande do Sul, a ministra é constantemente convidada a representar o Governo Federal em atividades que envolvem políticas e investimentos federais nas mais diversas áreas no estado”.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas