PSC anuncia que adotará postura independente do governo

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Um dia após o PMDB, partido de Feliciano disse que não vai mais enviar representantes para as reuniões da base aliada, nem na Câmara, nem no Senado

Agência Brasil

Um dia após o PMDB ter adotado uma postura de independência na Câmara dos Deputados, outro partido da base aliada ao governo optou por tomar o mesmo caminho. Hoje (12), após reunião de bancada, o PSC disse que não vai mais enviar representantes para as reuniões da base aliada, nem na Câmara, nem no Senado. O partido tem 13 deputados e um senador.

Leia também: Feliciano se despede de Comissão: "Quem sabe até a Presidência em 2018?"

“Não haverá oposição pela oposição. Se o governo entender que deve nos convidar, vamos estar à disposição”, disse o líder do partido na Câmara, André Moura (SE).

O PSC faz parte do chamado blocão. Liderado pelo PMDB e integrado por outros partidos da base aliada. como PTB, PP, PDT, PROS e PR e pelo oposicionista Solidariedade (SDD), o grupo adotou uma postura de independência em relação ao governo, manifestando o descontentamento dos congressistas com emendas que não foram liberadas ao longo do ano passado, a reforma ministerial e o debate sobre as eleições. Desde então, parlamentares desses partidos têm se posicionado contra votações de interesse do governo.

Um dos motivos para a mudança de rumo do PSC diz respeito ao quadro de alianças para as eleições deste ano. De acordo com a liderança do partido, uma resolução da Executiva Nacional orienta os diretórios regionais a lançar candidaturas próprias e formar chapas completas, o que resulta em barreiras para as alianças com o PT. A resolução determina ainda que as definições devem passar pela aprovação da executiva partidária.

Leia tudo sobre: PSCCongressoDilmaFeliciano

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas