Novos exames adiam decisão sobre aposentadoria de Genoino na Câmara

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Com o novo pedido, não há previsão de quando a junta médica da Casa vai divulgar o resultado da análise sobre o ex-parlamentar condenado no mensalão

Agência Brasil

Os médicos da Câmara dos Deputados, que analisam o pedido de aposentadoria por invalidez do ex-parlamentar José Genoino (PT-SP) - um dos condenados no mensalão - pediram mais um exame, conhecido como angiorressonância de tórax, antes do laudo final. Com o novo pedido, não há previsão de data para que a junta médica da Casa divulgue o resultado da análise.

Prisão domiciliar: Barbosa determina nova avaliação médica de José Genoino

Genoino pede ao STF para cumprir pena domiciliar definitiva

A expectativa, até o final da manhã de hoje (25), era que um novo laudo ficasse pronto até o dia 28. Na última semana, os médicos negaram o pedido de Genoino. Reconheceram que o petista tem pressão alta, mas não é portador de cardiopatia grave. Não teria, portanto, direito a aposentadoria integral.

Genoino apresentou novos exames, incluindo o monitoramento ambulatorial da pressão arterial.

O ex-deputado, que renunciou ao mandato da Câmara, já estava aposentado por tempo de contribuição, recebendo cerca de R$ 20 mil por mês. Caso a junta médica confirme a gravidade de seu estado, Genoino passará a receber integralmente os R$ 26,7 mil pagos atualmente aos parlamentares que estão no exercício do mandato.

O pedido já foi negado duas vezes pela equipe médica da Câmara. A primeira negativa foi feita em novembro do ano passado, quando os médicos concluíram que não havia diagnóstico de cardiopatia grave, do ponto de vista médico pericial, e recomendaram nova análise em 90 dias, que foi o resultado divulgado este mês. O presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), já afirmou que a análise é estritamente técnica, e não sofrerá qualquer influência política.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas