Justiça de São Paulo condena deputado por manter funcionária fantasma

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O ex-prefeito de Marília e deputado federal Abelardo Camarinha (PSB-SP) e seu sucessor Mário Bulgarelli (PDT) pagavam funcionária particular com dinheiro da Prefeitura

A Justiça de São Paulo condenou, nesta segunda-feira (24), os ex-prefeitos de Marília, Abelardo Camarinha (PSB-SP), atualmente deputado federal, e o seu sucessor Mário Bulgarelli (PDT) por pagarem Gláucia Helena Grava com dinheiro da Prefeitura, apesar de ela prestar serviços aos seus escritórios. 

Camarinha, Bulgarelli e Gláucia foram condenados, em segunda instância, a ressarcir em R$ 43,6 mil os cofres de Marília pelo período em que ela trabalhou como “funcionária fantasma” da Prefeitura, de janeiro de 2005 a abril de 2007. Além do ressarcimento, Bulgarelli e Gláucia foram condenados a pagar multa de R$ 18,5 mil e R$ 21,8 mil, respectivamente, e tiveram os direitos políticos suspensos por cinco anos. Os três foram condenados em decorrência de uma ação civil pública do Ministério Público de São Paulo.

Camarinha foi condenado apenas ao ressarcimento dos valores idevidamente pagos à funcionária. A pena menor foi por causa da prescrição do atos previstos na lei de improbidade administrativa, que prescreve em 5 anos. “Outras consequências irão ser examinadas pelo Tribunal Eleitoral, de acordo com a Lei da Ficha Limpa, para as eleições no final do ano”, diz Roberto Livianu, promotor que representou o Ministério Público hoje no tribunal.

O advogado de Camarinha não foi localizado, mas a assessoria do deputado informou que a defesa ainda estuda se irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os advogados de Bulgarelli e Gláucia não foram localizados.

Leia tudo sobre: deputadocamarinhamarília

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas