Justiça Federal determina bloqueio de bens de cinco réus do caso Alstom

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Juiz determinou bloqueio de mais de R$ 32 milhões de acusados de receber propina em contratos com a Eletropaulo na década de 1990

A Justiça Federal determinou o bloqueio de bens de cinco dos 11 réus no processo sobre pagamento de propina a servidores públicos estaduais de São Paulo pela empresa Alstom do Brasil Ltda, em um contrato firmado com a Eletropaulo para ampliação e criação de substações de energia na década de 1990. A decisão suspendeu mais de R$ 9,8 milhões depositados em contas bancárias.

Justiça aceita denúncia contra 11 envolvidos com propinas da Alstom

Metrô de São Paulo suspende contratos de manutenção de trens sob suspeita

Metrô: Promotor vê indício de cartel e pede suspensão de contratos

O empresário Romeu Pinto Junior, que é apontado como lobista pelo Ministério Público, teve R$ 7.945.228,74 bloqueados. A suspensão dos bens se estende também a Jorge Fagali Neto, que teve R$ 1.305.271,76 suspensos, José Geraldo Villas Boas com R$ 470.374,50, Sabino Indelicato com R$ 70.594,22 e Jean Pierre Charles Antoine Courtadon com R$ 53.298,80.

Alvos de cartel da Siemens, Metrô e CPTM respondem a mais de 130 inquéritos

Ao todo, o juiz federal Marcelo Costenaro Cavali determinou o bloqueio de R$ 32.486.838,80 dos cinco réus, porém, várias contas bancárias apresentavam saldo nulo, o que impossibilitou o cumprimento integral da decisão.

Na última terça-feira (18), a Justiça Federal recebeu a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal e definiu a abertura de processo contra 11 acusados de envolvimento no caso.


Leia tudo sobre: justiça federalbloqueio de bensréuscaso alstom

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas