PMDB retoma conversas e pede Ministério da Integração Nacional

Por Luciana Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Na nova lista de pedidos está a transferência de Garibaldi Alves Filho, da Previdência para a Integração Nacional. As conversas ficaram a cargo do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante

Embora a bancada peemedebista na Câmara ainda sustente que a crise com o governo está instalada devido à recusa da presidente Dilma Rousseff em atender aos pedidos do partido nas trocas ministeriais, as conversas entre a cúpula do partido e o Planalto foram retomadas e já existe uma lista de sugestões pronta para ser apresentada. A lista inclui um novo desenho, no qual o partido ganharia mais um ministério: o da Integração Nacional.

Leia mais: Dilma freia negociações e inquieta o PMDB

Desenvolvimento: Planalto confirma que Mauro Borges será ministro interino

Dilma anuncia troca de três ministros: Casa Civil, Saúde e Educação

Neste caso, o partido deixaria de indicar o senador Vital do Rêgo (PB) para a pasta e apresentaria o nome do ex-ministro da Previdência Garibaldi Alves Filho (RN), que conta com a simpatia da presidente Dilma Rousseff. Já em relação a Vital, o PMDB quer sugerir seu nome para a pasta do Turismo. Esta seria a última tentativa de manter o peemedebista na coligação prioritária nacional entre PT e PMDB para a reeleição de Dilma.

Anteriormente, a presidente havia manifestado o desejo de manter a Integração sob o comando do PROS, contemplando assim os irmãos Gomes (Cid e Ciro), que se mantiveram fiéis ao governo após a debandada do PSB.

Vital, por sua vez, tem se mantido discreto depois de não ter tido resposta sobre a aprovação de seu nome por parte de Dilma. O senador já deu início a conversas na Paraíba com o objetivo de entrar em uma composição com o senador tucano Cássio Cunha Lima. Vital, que poderá ter seu irmão, Veneziano Vital do Rêgo, como candidato ao governo da Paraíba, estaria fora da campanha de Dilma Rousseff e ao lado de Cunha Lima, que ajudaria na montagem da campanha do senador Aécio Neves (PSBD-MG).

Caso Vital decida caminhar com os tucanos, o PMDB tem na manga o nome do atual secretário de Políticas de Turismo do Ministério do Turismo, Vinícius Lummertz, que pediu pessoalmente ao vice-presidente Michel Temer que o indicasse para o cargo no lugar do ministro Gastão Vieira. Vieira também concorrerá a um novo mandato de deputado federal.

Este novo desenho nas pastas do PMDB seria objeto da conversa de Dilma e Temer na quarta-feira (19), antes da viagem para o Rio Grande do Sul, onde a presidente participará da Festa da Uva. Peemedebistas dizem que a conversa não ocorreu e Temer faz silêncio. A tarefa de conversar com a cúpula do maior partido aliado, no entanto, ficou a cargo do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que chamou as lideranças da Câmara e do Senado para uma reunião no Planalto na noite de quarta-feira, após a viagem de Dilma.

A nova lista de reivindicações do PMDB inclui também o pedido de nomeação do atual secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, para substituir o ministro Antônio Andrade, que deixará a pasta para concorrer à reeleição como deputado federal. Geller é ligado ao deputado Eduardo Cunha, líder do partido na Câmara. Nesta nova lista, o PMDB da Câmara também teria a atribuição de indicar um substituto para Garibaldi Alves no Ministério da Previdência.

O senador Eunício de Oliveira (PMDB-CE) confirma a lista de reivindicações apresentadas por Temer ao ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, na noite de quarta-feira. “Me perguntaram se eu não tinha objeção a esse modelo e eu disse que não. Por mim, tudo bem, desde que o ministro não seja eu”, disse o senador, que pretende concorrer ao governo do Ceará e não gostou de ter sido citado como provável ministro da Integração Nacional.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas