Votação do marco civil da internet é adiada

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, disse que votação deve ficar para quarta (18), mas não descarta adiar novamente para próxima semana

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, disse na manhã desta terça-feira (18) que a votação do projeto do marco civil da internet (PL 2126/11) foi adiada para amanhã. Na semana passada, Alves afirmou que a proposta seria votada nesta semana de qualquer maneira, já que o texto está trancando a pauta de votações do Plenário há quatro meses, por estar tramitando com urgência constitucional.

Leia também: Governo pode ceder em datacenter para aprovar Marco Civil

A jornalistas, Alves explicou que  debate ficará para depois em função da sessão do Congresso para apreciação de vetos presidenciais, marcada para as 19h, e o debate sobre a composição das comissões permanentes da Câmara que deve ser a prioridade dos líderes partidários durante o dia de hoje. Segundo ele, a votação do projeto pode começar amanhã, “mas se a discussão [sobre o marco civil] for muito acalorada pode ser que [a votação] fique para terça-feira [25] que vem”, afirmou.

Leia mais: Marco Civil da Internet será primeiro embate do ano entre governo e PMDB

A última versão do projeto foi lida na última quinta-feira (12) pelo relator da proposta, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), que voltou a se reunir com representantes de algumas bancadas para esclarecer pontos da proposta e tentar minimizar os impasses.

Mesmo com o esforço concentrado e o tom de otimismo de declarações feitas pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), outras prioridades retardaram ainda mais a conclusão do projeto.

A dificuldade em fazer a proposta avançar esbarra em, pelo menos, dois pontos. O primeiro deles é o que trata o princípio da neutralidade da rede, ou seja, os provedores de conexão não podem restringir acesso a conteúdos privilegiando alguns acessos em detrimento de outros.

Outra polêmica é sobre a obrigatoriedade para que os provedores de conexão mantenham centrais de dados (data centers) instalados no país, como forma de garantir alguma segurança aos dados de brasileiros.

*Com Agência Brasil e Agência Câmara

Leia tudo sobre: Marco CivilCâmara

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas