Condenado no processo do mensalão e com mandado de prisão provisória internacional validado, Pizzolato continuará detido na cidade de Modena

A Justiça da Itália negou nesta sexta-feira (07) a liberdade provisória ao ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato , condenado no processo do mensalão e preso nesta quarta-feira (05) em Maranello, na Itália, após três meses de fuga.

Mais:

Dilma pede agilidade no trâmite do caso Henrique Pizzolato

Histórico reduz a quase zero a chance de extradição de Pizzolato para o Brasil

Reprodução de documentos usados por Henrique Pizzolato e comparação das digitais dele com as do irmão Celso Pizzolato
Alan Sampaio / iG Brasília
Reprodução de documentos usados por Henrique Pizzolato e comparação das digitais dele com as do irmão Celso Pizzolato

A corte de apelação da cidade de Bolonha confirmou a prisão provisória, sob mandado de prisão internacional, medida que não permitirá que Pizzolato responda ao processo de extradição para o Brasil em liberdade. A Justiça italiana aplicou uma medida de detenção no presídio de Modena, onde o brasileiro ficará detido.

Na audiência desta manhã, Pizzolato foi apresentado oficialmente à justiça e reconhecida sua identidade, que ele não negou. Ele ainda declarou ser contrário à sua extradição para o Brasil.

Veja imagens de brasileiros procurados pela Interpol:

*Com informações da Agência Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.