Governo propõe ao PROS manter Francisco Teixeira na Integração Nacional

Por Nivaldo Souza - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Novo titular da Casa Civil, Mercadante fez o pedido a Cid Gomes para que o atual ministro permaneça no cargo; setores do partido trabalhavam pela indicação de Ciro

O Ministério da Integração Nacional ficará definitivamente com o PROS se o partido assumir o atual ministro Francisco Teixeira na cota do partido na reforma ministerial. A sinalização - que já havia sido feita informalmente ao partido, como adiantou a coluna Poder Online - foi reforçada ontem pelo ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante (PT-SP), ao governador do Ceará, Cid Gomes.

Poder Online: PTB aguarda Dilma, mas sinaliza satisfação com Portos

Dilma anuncia troca de três ministros: Casa Civil, Saúde e Educação

Havia uma articulação para emplacar Ciro Gomes, atual secretário de Saúde do Ceará. Mas o governo avalia como mais indicado para o momento manter Teixeira para minimizar a tensão com o PMDB, que também pleiteia Integração.

O primeiro movimento da reforma foi feito hoje pela presidente Dilma Rousseff, que confirmou Mercadante em substituição a Gleisi Hoffman, que disputará o governo do Paraná. Foram anunciados também o secretário-executivo de Educação, José Henrique Paim, para o lugar de Mercadante, e o secretário de Saúde de São Bernardo do Campo, Arthur Chioro, para substituir Alexandre Padilha, que deixa Saúde para concorrer ao governo de São Paulo.

Portos é 'ovos de ouro'

Mercadante se esforça para apresentar uma alternativa para o PMDB, que também pleiteia a Integração, cujo orçamento para investimentos em 2014 soma R$ 8,5 bilhões. Uma ideia seria colocar a Secretaria Especial de Portos como “galinha dos ovos de ouro”.

O argumento que tem sido usado é de que a Secretaria dos Portos, cujo orçamento para investir neste ano é de R$ 1,5 bilhão, é uma pasta que dialoga diretamente com a iniciativa privada – especialmente as construtoras e operadoras de carga, o que significa destinação mais fácil de recursos para obras.

A pasta dos Portos também é apontada como moeda de troca para o PMDB deixar Turismo a cargo do PTB, que deve indicar o presidente Benito Gama para a pasta. Turismo controla orçamento de R$ 700 milhões e sempre foi visto por peemedebistas como uma pasta de menor expressão.

Dilma pretende apresentar mais substituições ministeriais na próxima semana, depois de que conversar com o vice-presidente Michel Temer. Depois da conversa com o principal interlocutor do PMDB, ficará a cargo de Mercadante encerrar a negociação com o PROS e o PTB. A reforma deve ficar concluída em meados de fevereiro.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas