PMDB monta lista com indicações para novo ministério de Dilma

Por Nivaldo Souza , iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Partido espera confirmação de cargos na próxima semana para apresentar Eliseu Padilha, Leonardo Quintão e Vital do Rêgo para as pastas dos Portos, Agricultura e Turismo

Divulgação
Michel Temer deve se reunir com Dilma Rousseff na próxima quarta-feira (29)

A reforma ministerial colocada em andamento pelo Palácio do Planalto levou o PMDB a elaborar uma lista com nomes do partido para escolha da presidente Dilma Rousseff. A cúpula peemedebista se reúne na próxima terça-feira (28), em Brasília, para bater o martelo nos nomes que serão colocados à mesa da presidente. A expectativa é de que Dilma chame o vice-presidente Michel Temer na quarta-feira (29) para anunciar as pastas que ficarão com a principal, incluindo um novo mistério na lista de cinco já ocupadas pelo PMDB.

Conheça a home do Último Segundo

Caso Dilma ceda a Secretaria Especial de Portos (SEP) – espólio deixado pelo PSB na ruptura pela pré-candidatura de Eduardo Campos ao Planalto –, Temer indicará o deputado federal Eliseu Padilha (PMDB-RS). Ele é o homem de confiança do vice-presidente e foi destacado por Temer, com aval de Dilma, para pacificar peemedebistas em meio à tensão durante a votação da MP dos Portos na Câmara.

Leia mais: PROS está mais próximo de levar a Integração Nacional

Embora ocupe uma vaga na Câmara como suplente, Padilha já sinalizou que topa não disputar reeleição para assumir a pasta. Ele é tido entre os peemedebistas como um “nome irrecusável” devido seu histórico na área de infraestrutura.

Gaúcho de Canela, hoje com 68 anos, Padilha foi titular de Transportes entre 1997 e 2001, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A passagem lhe rendeu, em 2007, o indiciamento na Operação Solidária pela Polícia Federal por favorecimento de empresas de engenharia em licitações.

Agricultura e Turismo

O líder peemedebista na Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), tem articulado para emplacar o novo ministro da Agricultura, ocupada atualmente por Antônio Andrade (PMDB-MG) – que sinalizou disposição de disputa uma vaga na Câmara, onde exercia o segundo mandato como deputado até se tornar ministro em março passado.

Cunha sugere como opção para pasta o deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG). A indicação esbarra na decisão da presidente de não nomear deputados para evitar o compromisso de mantê-los na Esplanada dos Ministérios caso ela seja reeleita.

A indicação de Cunha sofre outra resistência por parte do PMDB, que pretende convencer Andrade a permanecer em Agricultura. Parte da ala mineira peemedebista e do Senado acredita que, diante do trabalho realizado pelo ministro e o que pode ser feito em 2014, Andrade terá força para permanecer no cargo em um eventual segundo mandato de Dilma.

Papo na Redação: Reforma ministerial divide PMDB

O PMDB também corre para pressionar o Planalto para não perder Turismo, cujo titular Gastão Vieira (PMDB-MA) deixará o posto para se lançar como deputado federal. A pasta é cobiçada pelo PTB, que negocia mais espaço no governo e pode indicar o presidente da sigla, Benito Gama, para o lugar de Vieira.

Se confirmada a permanência do PMDB em Turismo, o partido pode indicar o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). Cotado inicialmente para o Ministério da Integração Nacional, cujo orçamento de R$ 8,5 bilhões deste ano ficará com comando do PROS, Vital deve se contentar em ficar à frente do orçamento de R$ 700 milhões de Turismo no ano da Copa do Mundo da Fifa.

Leia tudo sobre: reforma ministerialDilma RousseffPMDBMichel Temer

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas