Delúbio lança campanha virtual para arrecadar recursos

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-tesoureiro petista, condenado pelo mensalão, tem até o final de janeiro para pagar multa de R$ 466.888,90

Agência Brasil

Parentes e amigos do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares começaram a arrecadar doações para quitar a multa imposta pela Justiça, resultante da condenação na Ação Penal 470, o processo do mensalão. A Vara de Execuções Penais publicou, na segunda-feira (20), a certidão de cobrança da multa imposta ao ex-tesoureiro do partido. Com o documento, começa a contar o prazo de dez dias para a quitação do valor de R$ 466.888,90.

Multa: Dirceu e Delúbio também devem arrecadar recursos via site

Conheça a home do Último Segundo 

Leia também: Em 1º dia de trabalho, Delúbio come marmita

Delúbio segue o exemplo do ex-presidente do PT José Genoino. Na semana passada, a família de Genoino divulgou a arrecadação online de recursos suficientes para pagar a multa decorrente da condenação no processo.

O ex-ministro José Dirceu chegou à sede da PF acompanhado do advogado e foi recebido aos gritos por militantes do PT (15/11). Foto: Futura PressO ex presidente do PT José Genoino foi o primeiro condenado do mensalão a se entregar. Ele se entregou na sede da Polícia Federal (15/11). Foto: Futura PressAo se entregar, José Genoino foi aplaudido por alguns militantes do PT que estavam em frente ao prédio da PF (15/11). Foto: Oslaim Brito/Futura PressDelúbio deixa o edifício central no setor comercial sul, em Brasília, após mais um dia de trabalho na CUT. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaAntes de embarcar para Brasília, eles fizeram exame de corpo de delito (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressEntre os detidos estava Marcos Valério, o operado do mensalão (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressAvião da Polícia Federal com condenados no julgamento do Mensalão, no Aeroporto da cidade de Brasília (DF), neste sábado (16). Foto: Pedro França/Futura PressAntes de chegar em Brasília, o avião da Polícia Federal passou em São Paulo e em Minas Gerais. Foto: Pedro França/Futura PressO ex-ministro José Dirceu desembarcou acompanhado de agentes. Foto: Pedro França/Futura PressAntes de chegar em Brasília, o avião passou por Minas Gerais. Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura PressOs condenados no mensalão chamaram atenção de populares. Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura PressMilitantes do PT protestam em frente a  Polícia Federal em Brasília. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaMilitantes do PT se reúnem em frente ao prédio da Polícia Federal em Brasília. Os nove condenados do mensalão que se entregaram em SP e MG chegaram a Brasília . Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaEm frente a sede da Polícia Federal em Brasília, militantes do PT esperam por condenados no mensalão. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaNo grupo detido em Minas Gerais também está Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressAntes de ser levada para Brasília, Kátia teve que dividir cela com Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Valério (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressRomeu Queiroz, ex-deputado (PTB), também teve que se apresentar à Polícia Federal. Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressCristiano Paz, ex-sócio de Marcos Valério, passou por exame de corpo de delito. Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressRamon Hollerbach, que também teve de se apresentar à PF, é o outro ex-sócio de Marcos Valério. Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressJosé Roberto Salgado é ex-executivo do Banco Rural. Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressSete condenados no mensalão se entregaram em Minas Gerais. Eles foram hostilizados pela população (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressProtesto contra prisão do ex ministro chefe da Casa Civil José Dirceu em frente à sede da Polícia Federal (PF), em Brasília (DF) (16/11). Foto: Futura PressO advogado de José Dirceu José Luís de Oliveira Lima concede entrevista em frente à sede da PF de São Paulo (16/11). Foto: Futura PressManifestantes do PT se reúnem em frente à sede da PF de Brasília para protestar contra prisão dos condenados do mensalão (16/11). Foto: Marcel Frota/iG BrasíliaAdvogado Marthius Sávio Lobato concede entrevista sobre seu cliente, Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão que fugiu para a Itália (16/11). Foto: Futura PressEx-presidente do PT José Genoino e ex-ministro da Casa Civil José Dirceu deixaram a sede da PF em direção ao Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (16/11). Foto: Futura PressMarcos Valério se entrega na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (MG) (15/11). Foto: Futura PressO ex-tesoureiro do PL Jacinto Lamas se entregou na sede da Polícia Federal em Brasília (15/11). Foto: Futura PressA ex-funcionária de Marcos Valério Simone Vasconcelos se entrega na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (MG) (15/11). Foto: Futura PressA ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello se entregou na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte. Ela estava acompanhada do advogado (15/11). Foto: Futura PressRomeu Queiroz se entrega na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (15/11). Foto: Futura PressEx-sócio de Marcos Valério Ramon Hollerbach se entrega na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (MG) (15/11). Foto: Futura Press


Até a manhã de hoje (22), nenhuma doação foi registrada na campanha de apoio a Delúbio Soares. O vice-presidente do partido na Câmara, André Vargas (PT-PR), evitou garantir um resultado semelhante. Ele lembrou que Genoino tem grande apoio popular e sua situação de saúde aumenta mais o sentimento de solidariedade das pessoas.

Site criado para recolher doações a Genoino alcança o valor da multa

Na página da campanha intitulada Solidariedade a Delúbio, uma carta assinada por “companheiros e companheiras de Delúbio Soares” destaca que o condenado no processo do mensalão perdeu o emprego, a paz, os direitos políticos e a própria liberdade. Segundo o texto porém, "não conseguiram afastar-lhe os amigos, companheiros e admiradores de sua longa e digna trajetória de vida”.

O lançamento da campanha já havia sido anunciado ontem (21) pelo coordenador jurídico do PT, Marco Aurélio Carvalho, mas não tinha sido confirmada pelo escritório de advocacia que cuida da defesa de Delúbio.

No site da campanha, uma nota do presidente nacional do PT, Rui Falcão, pede apoio a Delúbio e reforça que o partido, em virtude da lei, não pode usar recursos próprios nem do Fundo Partidário para essa finalidade. "Propomos esta corrente de solidariedade que deve, igualmente, estender-se aos companheiros José Dirceu, Delúbio Soares e João Paulo Cunha”, informa o texto.

Leia tudo sobre: Delúbiomensalãojulgamento do mensalão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas