Erundina diz que alckmistas do PSB plantam notícias contra candidatura própria

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento |

compartilhe

Tamanho do texto

Deputada não descarta concorrer ao governo de São Paulo e diz que 'importante é a tese', e depois decidir quem será o candidato

Brasil Econômico

A deputada Luiza Erundina diz que os defensores do apoio à reeleição de Geraldo Alckmin dentro do PSB paulista estão divulgando que ela não quer disputar o governo de São Paulo com o objetivo de enfraquecer a tese da candidatura própria, da qual é defensora. Ela diz que o seu nome é apenas um dos que estão colocados para a disputa. “Agora, o mais importante é a tese, depois decidimos quem será”, afirma. O presidente estadual do PSB, deputado Márcio França, e o prefeito de Campinas, Jonas Donizete, vice-presidente estadual, são os principais defensores do apoio a Alckmin. Fazem parte do grupo também os prefeitos de São José do Rio Preto, Valdomiro Lopes, e de Marília, Vinícius Camarinha, que, quando era deputado estadual, chegou a ser um dos vice-líderes de Alckmin na Assembleia.

Erundina critica a falta de democracia dentro do partido em São Paulo. “As decisões não podem ser tomadas por dois ou três, sem ouvir ninguém. Estou entre os dez deputados mais votados no Estado na eleição passada e não sou consultada”, afirma. Ela diz que não houve debate interno quando o PSB decidiu entrar na base de Alckmin. “O partido em São Paulo já tem feito campanha pela reeleição dele sem que exista uma decisão para respaldar isso. Não é um comportamento socialista, muito menos democrático”, completa. Para ela, os socialistas e a Rede, grupo ligado à ex-ministra Marina Silva que se filiou ao partido, precisam construir um consenso, ou pelo menos tomar uma decisão apoiada pela maioria. Os defensores do apoio a Alckmin lutam para garantir a vaga de vice na coligação do governador e defendem a indicação de Márcio França.

Sem preparo para lançar candidato

Defensor do apoio ao PSDB no Estado, Valdomiro Lopes diz que Erundina seria o único nome do PSB em condições de disputar o governo. Para Vinícius Camarinha, o partido não se preparou para ter candidatura própria.

Petebista diz que “rolezinho” é fascista

O líder do PTB na Assembleia paulista, Campos Machado, enviou mensagem de apoio à Associação dos Shoppings de São Paulo, na qual considera o "rolezinho" um evento de caráter “fascista e antidemocrático”.

Controlando a Controlar

Denuciada agora, a empresa Controlar é motivo de polêmicas. A regulamentação da inspeção veicular no País foi abandonada após passar por uma comissão especial no Congresso em 2004. Os críticos viam alta influência.

Autor de livro rebate Opportunity

Sobre decisão do presidente do Opportunity, Dório Ferman, de pedir à 6ª. Vara da Justiça Federal de São Paulo que investigue “práticas criminosas” na produção do livro “Operação Banqueiro”, o jornalista Rubens Valente diz que, com a medida, o banco pretende “criminalizar o autor e a Geração Editoral como parte de um plano ligado a opositores". Valente terá encontro com blogueiros, amanhã às 19hs, no Centro Barão de Itararé, em São Paulo.

Chico Alencar pensa em candidatura à Presidência em 2018

O deputado Chico Alencar (Psol-RJ) disse que pretende disputar a reeleição e, ao final do eventual mandato, encerrar a vida parlamentar. A partir daí, pensa numa possível candidatura à Presidência da República em 2018. “Aliás, acabei de lançar um livro sobre as manifestações de junho (A rua, a nação e o sonho: uma reflexão para as novas gerações), que é quase uma proposta de candidato a presidente”.

“Calúnia, difamação, injúria e ofensas formam uma espécie de enxurrada que arrasta o Brasil para o atraso onde prosperam várias modalidades de protofascismo”

Marina Silva, ex-ministra e criadora da Rede

*Com Leonardo Fuhrmann e Eduardo Miranda

Leia tudo sobre: mosaico políticoErundinaPSB

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas