Pedro Antonio Mato Narbondo teria escapado de ação na Justiça uruguaia pela morte de um operário torturado em 1972, durante a ditadura militar

Segundo a agência de notícias Soriano, o coronel uruguaio Pedro Antonio Mato Narbondo fugiu do País nesta terça-feira (31), com destino ao Brasil. Ele é réu na Justiça uruguaia pela morte de um operário da construção, preso e torturado em 1972 no quartel onde Mato servia durante a ditadura militar.

Conheça a home do Último Segundo

Leia também: Hipótese de assassinato de JK reforça investigações sobre Jango e Lacerda

O coronel participou ativamente da coordenação da ação de repressão dos regimes militares do Cone Sul, na operação Condor, e foi responsável pelo sumiço de pelo menos 13 guerrilheiros uruguaios na época.

Narbondo foi acusado participar da ação que sequestrou e matou em Buenos Aires, em 1976, o senador Zelmar Michelini e o ex-presidente da Câmara de Deputados, Héctor Gutierrez Ruiz, o quais teria confessado.

O militar, que antes vivia na cidade de Rivera no Uruguai, se mudou para Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul. Desde 2004, o coronel dirigia um carro com placa brasileira,


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.