Ministra deve retomar o mandato de senadora pelo Paraná em janeiro, quando Dilma dará início à reforma ministerial

Reuters

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, disse que sentirá saudade do cargo e previu que deixará o governo para retomar o mandato de senadora pelo Paraná em janeiro, quando a presidente Dilma Rousseff dará início à reforma ministerial.

Conheça a home do Último Segundo

Felipe Bryan Sampaio/ iG
"A decisão de concorrer ao governo, ela vai ser tomada no ano que vem, após a minha saída da Casa Civil", disse a ministra Gleisi Hoffmann durante um café da manhã com jornalistas

Segundo ela, a decisão sobre a candidatura ao governo do Estado ainda não está tomada. "A decisão de concorrer ao governo, ela vai ser tomada no ano que vem, após a minha saída da Casa Civil", afirmou durante um café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto. "É uma avaliação política que não quero misturar enquanto estou aqui", acrescentou.

Veja também:  Partidos pressionam por mais espaço na reforma ministerial

Gleisi não sabe quando deixará a Casa Civil, mas afirmou que pediu a Dilma para sair em janeiro. "Até para que isso possa ser avaliado decidido (o meu futuro político) eu solicitei à presidenta o afastamento. Essa é a referência de data para sair em janeiro. Eu particularmente prefiro e a presidenta também tinha essa data como referência", afirmou a ministra. "Foi um período muito bom, aprendi muito aqui. Vou sentir saudade", disse em tom de despedida.

A Casa Civil é uma pasta chave na administração de Dilma porque coordena todos os principais programas do governo. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e o secretário executivo do Ministério da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, são os mais cotados para substituir Gleisi.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.