Campos nega tensão e diz que Dilma será 'tratada como sempre foi' no Recife

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente cumpre agenda na capital pernambucana nesta terça e será recebida pelo governador de Pernambuco. Relação é 'cordial, fraterna e institucional', diz Campos

Agência Estado

O governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) assegurou que o afastamento do PSB do governo federal e o seu projeto nacional não irá afetar a relação "cordial, fraterna e institucional" com a presidente Dilma Rousseff, que cumpre agenda em Pernambuco, nesta terça-feira (17).

Conheça a home do Último Segundo

Blog do Kennedy: PPS dá vantagem a Campos sobre Aécio

Aliança PSB-Rede foi o fato político do ano, diz Eduardo Campos

"Ela será tratada como sempre foi: com muita atenção", afirmou ele, ao descartar ambiente de tensão entre ele e a presidente, na sua primeira visita ao Estado depois da saída do PSB da base aliada do governo. "Eu e Renata (a primeira-dama) estaremos no aeroporto para recebê-la, como sempre fizemos, para tratá-la com o respeito que sempre tivemos", garantiu, ao frisar que o respeito é "tanto pela pessoa da presidente em quem votamos", assim como pela presidente de todos os brasileiros. "É próprio da nossa tradição".

Alice Vergueiro / Futura Press
O presidente do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos

Campos deu entrevista ao inaugurar uma fábrica de margarina da BRF no município metropolitano de Vitória de Santo Antão - investimento de R$ 150 milhões - ao lado do presidente do conselho administrativo da empresa, Abílio Diniz, e do membro do conselho de administração, o ex-ministro do Desenvolvimento Econômico no governo do ex-presidente Lula, Luiz Fernando Furlan.

Indagado se terá um encontro privado com Dilma Rousseff, ele afirmou que a agenda ainda está sendo ultimada, mas considerou "natural" que possam conversar um pouco. Segundo ele, há a expectativa de que a presidente possa anunciar obras de mobilidade no Recife e na região metropolitana. Entre elas o Arco Metropolitano - que vai ligar a fábrica da Fiat, no município de Goiana, ao complexo de Suape - e um projeto de navegabilidade do Rio Capibaribe, no Recife.

Sobre a última avaliação do Ibope que coloca o seu governo como segundo mais aprovado no País, Campos afirmou que as pesquisas têm sido muito positivas. "Têm nos animado bastante".

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas