Aécio Neves: 'Ganhar em SP é caminho para vencer no Brasil'

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Pré-candidato do PSDB nas eleições participou de evento em Sorocaba com 21 prefeitos, vereadores e deputados

Agência Estado

O senador Aécio Neves, pré-candidato do PSDB à presidência da República, pediu o apoio dos prefeitos e vereadores tucanos para ganhar a eleição no Estado de São Paulo. "Se vencer as eleições em São Paulo, e espero que vençamos, vamos vencer no Brasil", disse.

Conheça a nova home do Último Segundo

Futura Press
O senador e presidente Nacional do PSDB, Aécio Neves, visita a cidade de Sorocaba, SP, neste sábado (7)

Aécio reuniu 21 prefeitos, vereadores e deputados neste sábado, 7, num clube da região central de Sorocaba para o evento "Conversa com os Brasileiros", do PSDB. Depois de criticar o desempenho da economia, a falta de investimentos na saúde e na fiscalização das fronteiras, disse que o País cansou do PT. "O Brasil está cansado de incompetência e estou pronto."

Cartel: PSDB reage a denúncias e anuncia medidas contra ministro da Justiça

Ao comentar as investigações sobre o cartel no setor metroferroviário em São Paulo, e o suposto pagamento de propinas a líderes tucanos, disse que tudo deve ser investigado com profundidade. "Se houver comprovação de algum ilícito, tem de ser punido exemplarmente, independente de filiação partidária. O que não concordamos é com a utilização da estrutura do Estado para perseguir adversários políticos, com denúncias que não correspondem à realidade."

Sobre a tentativa da Polícia Federal de transferir a investigação para Brasília, Aécio ponderou que não importa onde ocorra a apuração. "O que importa é que as investigações ocorram de forma ampla a efetiva, mas que não seja seletiva."

No discurso, ele prometeu reestatizar a Petrobras em benefício da sociedade. "Estamos voltando a ser o que éramos na década de 50, exportadores de commodities." Atacando a corrupção e falta de gestão, disse que O Brasil é um cemitério de obras inacabadas.

O tucano disse que tem conversado com o ex-governador de São Paulo José Serra, que também se apresenta como pré-candidato, e afirmou que o PSDB vai estar unido na campanha. "Nossa unidade é o instrumento mais vigoroso que temos para ir ao segundo turno e ganhar as eleições."

Aécio considerou natural uma possível união com o PSB, mas disse que a candidatura de Eduardo Campos, governador de Pernambuco, está colocada e que as candidaturas aprimoram a democracia. "O PT quis ganhar por WO impedindo a candidatura, mas as candidaturas, o embate, são bons para a democracia."

Avião com cocaína

O senador também afirmou que não fica constrangido com uma possível investigação do Ministério Público mineiro sobre contratos de seu governo com a empresa do deputado Gustavo Perrela (SDD), que teve um helicóptero da família apreendido com mais de 400 quilos de cocaína.

"Tudo tem de ser investigado em qualquer governo. Tenho orgulho de ter terminado meu governo com a aprovação lá no alto e sem uma denúncia sequer, mas onde houver denúncia tem de ser investigado."

Ele falou também que ainda aguarda confiante uma decisão do PPS sobre o pedido de apoio à sua candidatura. "Existem setores do partido que têm uma proximidade histórica com o PSDB, como no meu Estado (Minas Gerais), mas eles vão decidir e temos de respeitar."

No final do encontro, Aécio decidiu fazer um corpo a corpo no centro e enfrentou os protestos de cerca de 20 militantes do movimento Domínio Público. "O governo daqui (Sorocaba) é do PSDB, e a cidade está um caos na saúde, na educação e na coleta de lixo. Viemos dizer que essa candidatura não nos representa."

Os gritos dos manifestantes foram respondidos pela claque do PSDB. Numa padaria, onde tomou café com leite ao lado do prefeito Antonio Carlos Pannunzio e ex-prefeito Vitor Lippi, Aécio teve de ouvir os protestos isolados de uma moradora, revoltada com a administração da cidade.

Leia tudo sobre: aécio neveseleições 2014psdb

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas