Siemens: Denúncias tiveram a mesma origem

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento |

compartilhe

Tamanho do texto

Desde 2010, vieram a público papéis com denúncias do executivo: carta em inglês e relatório em português

Brasil Econômico

Grupos políticos vão tirar proveito das denúncias sobre um cartel montado em São Paulo para a compra de trens do Metrô e da CPTM. Fora esse interesse, documentos sobre o caso circulam já há quatro anos - conforme mostrou a Folha de S.Paulo - e vieram da mesma fonte: um ex-diretor da Siemens. Desde 2010, foram tornados públicos papéis com as denúncias do executivo - uma carta em inglês e outro relatório em português. O conteúdo, nos dois casos, era assumido por essa testemunha. Ela mantinha o anonimato por temer represálias, como alegava. Seus relatos foram encaminhados ao ombudsman da Siemens, na Alemanha, ao Ministério Público de São Paulo e ao Ministério Público Federal.

Leia outras colunas do Mosaico Político

Nesse caso, não haveria motivo para a adulteração do documento, ao ser feita a tradução, como protesta o PSDB. A denúncia era uma só e veio da mesma fonte. O denunciante acabou identificado: Everton Rheinheimer. Ele deixou a Siemens em 2007 e, hoje, colabora com as investigações feitas pela PF, Ministério Público Federal e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). O terceiro documento surgido agora - com nomes de autoridades e políticos tucanos - também é anônimo e teria a mesma procedência, admitem petistas. Ao ser enviado para a Polícia Federal pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, gerou grande celeuma. Rheinheimer, no entanto, não assumiu a autoria do novo e polêmico relatório, que gera protesto dos tucanos e também ameaças de ações judiciais dos dois lados.

O poder feminino

Segundo decisão do IV Congresso do PT, em 2011, os cargos de direção do partido serão divididos meio a meio entre homens e mulheres. Assim, das 18 vagas de sua nova Executiva Nacional, nove serão ocupadas por mulheres. A corrente Construindo um Novo Brasil (CNB) terá direito a dez vagas; a Mensagem ao Partido, quatro; Movimento PT, duas; Militância Socialista, uma, e Articulação de Esquerda, uma. Monica Valente, mulher de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido condenado no mensalão, deve ser indicada pela CNB. A Mensagem pode indicar Luizianne Lins, ex-prefeita de Fortaleza, e Ana Júlia Carepa, ex-governadora do Pará.

Meio homem

Os grupos Articulação de Esquerda e Militância Socialista não sabem como fazer suas indicações para a Executiva do PT porque só têm direito a uma vaga, cada uma. Militantes das correntes observaram que “não existe meio homem”. Uma delas deverá indicar um homem e a outra, uma mulher.

Alckmin e Anastasia em seminário

Os governadores Geraldo Alckmin, de São Paulo, e Antonio Anastasia, de Minas Gerais, abrem amanhã, no Hotel Transamérica, na capital paulista, o Seminário Internacional de Gestão Pública Contemporânea, promovido pela Fundação Dom Cabral e Banco Mundial. Anastasia dará uma palestra sobre a inovação na gestão pública.

Temer assina outorga de aeroporto

O vice-presidente da República Michel Temer e o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, assinam hoje o termo de outorga do aeroporto metropolitano do Guarujá, na Baixada Santista. Este é um dos principais projetos de aeroportos regionais no País. Em 150 dias, a prefeitura definirá o modelo de concessão do aeroporto à iniciativa privada.

Sérgio Cabral (PMDB), governador do Rio, ao anunciar que deixará o governo em março: "Vou colocar o meu nome à disposição (para o Senado), mas é uma questão que não cabe a mim, cabe ao partido"

Leia tudo sobre: mosaico político

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas