Governador licenciado de Sergipe morreu na manhã desta segunda-feira (2), aos 53 anos, em São Paulo

A presidente Dilma Rousseff e outros políticos lamentaram a morte do governador de Sergipe, Marcelo Déda, nesta segunda-feira (2). Dilma, amiga de Deda, disse, por meio de nota, ter perdido “um grande amigo, daqueles das horas boas e más”. 

Déda, que lutava contra um câncer desde 2009, será velado no Palácio Museu Olímpio Campos, em Aracaju, a partir das 16 horas, no horário local, 17 horas em Brasília. A assessoria do governo sergipano informou que o velório vai durar até terça-feira de manhã.

Segundo familiares do governador, o corpo de Déda será cremado no final da tarde de terça em Salvador, já que Sergipe não tem crematório. O velório será aberto à população.

Tido como poeta por Dilma, Déda buscava fortalecer o PT no Nordeste

Conheça a home do Último Segundo 

Dilma Rousseff: “O Brasil e o Estado de Sergipe perderam hoje um grande homem. Como prefeito, deputado e governador, Marcelo Déda exerceu a Política com P maiúsculo. A sua trajetória foi marcada pela dedicação em transformar para melhor a vida das pessoas, especialmente as mais humildes. Eu perdi hoje um grande amigo, daqueles das horas boas e más. Déda era capaz de recitar poesia, inclusive as próprias, com a força de um grande artista e a naturalidade de um repentista. Ao mesmo tempo, era capaz de aprimorar uma discussão com uma lógica irretocável. Marcella, Yasmim, Luísa, João Marcelo e Mateus perderam um pai amoroso. Eliane perdeu um companheiro leal. Déda foi um exemplo de coragem na saúde e na doença e um exemplo de caráter na vida privada e na trajetória pública. Déda fará falta. Mas seu exemplo nos guiará.”

O governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) lamentou em nota divulgada hoje a morte de seu amigo, e elogiou a trajetória profissional de Deda, também dizendo que o petista “fazia política com ‘P’ maiúsculo”.

Eduardo Campos: "A ausência do governador Marcelo Déda é uma enorme perda para a política brasileira. Ele foi o maior nome da minha geração, um homem que fazia política com 'P' maiúsculo, pela ideias. Acompanhei sua luta contra a doença, e tive a oportunidade de presenciar um exemplo de grandeza, de força e de coragem como poucas vezes se viu. Lamento profundamente sua partida não apenas como o cidadão e homem público exemplar que foi, mas também, e em grande medida, como um dos grandes amigos que fiz na vida. Em meu nome, de minha família e do Estado de Pernambuco, manifesto o pesar e a solidariedade a todos os familiares e amigos de Marcelo Déda e ao povo do Sergipe".

Poder Online: No hospital, governador de Sergipe recebe visitas de Lula e Campos

Déda fez questão de assistir ao jogo Brasil x Inglaterra

Ex-presidente Lula:  " Marcelo Déda foi um exemplo de dignidade e compromisso público na atividade política. Ajudou a construir o Partido dos Trabalhadores e teve uma trajetória brilhante como representante do povo na Assembleia Legislativa, na Câmara dos Deputados, como prefeito de Aracaju e finalmente como governador de Sergipe, sempre com sua atenção voltada aos mais pobres e ao desenvolvimento do seu estado. O legado do seu trabalho viverá para sempre na memória dos sergipanos e de todos que o conheceram.

Sergipe perdeu um grande governador, o Brasil perdeu um excepcional homem público e Marisa e eu perdemos também um grande amigo, compadre e irmão. Nesse momento de profunda dor e tristeza nos juntamos em solidariedade aos parentes e amigos do nosso querido Marcelo Déda."

Bancada do PT na Câmara dos Deputados: “(...)Déda era um ser humano ímpar, alegre, bem humorado, amante da boa música e com uma capacidade enorme para a atividade política e a defesa do interesse público.Homem público exemplar, o PT perde um militante ativo e sempre presente nas atividades partidárias. Seu legado será sempre lembrado e servirá de referência para a esquerda nacional e as novas gerações de brasileiros.Nossas condolências e solidariedade aos seus filhos Marcella, Yasmim, Luísa, João Marcelo e Mateus e a sua esposa Eliane. Déda deixa um exemplo de coragem na saúde e na doença e uma referência de caráter na vida privada e na trajetória pública. Descanse em paz, grande companheiro.”

Marta Suplicy (PT), ministra da Cultura: "É imensa a tristeza e o sentimento do que significa para o povo brasileiro, para os sergipanos e o Partido dos Trabalhadores a perda de um dos seus melhores quadros e pessoa humana. Déda era um político de qualidades excepcionais e ter partido tão cedo nos deixa um profundo vazio. Todo carinho à Eliane e seus 5 filhos. A política brasileira hoje perde um dos mais capacitados e brilhante político do país."

Luiza Erundina (PSB-SP): " Triste com o falecimento do governador Marcelo Déda me solidarizo com seus familiares e os petistas por essa terrível perda. Abraço afetuoso."

Chico Alencar (PSOL-RJ): "Amanheço com a triste notícia do falecimento de MARCELO DÉDA, governador licenciado de Sergipe. Éramos amigos. Mesmo afastados partidariamente (desde que saí do PT), mantínhamos uma relação de afeto, de debate elevado na divergência e de gosto comum pela música, pelo Flamengo, pelo bom da vida. Déda sempre foi um cara pra cima, inteligente, sensível, animado. 'Parte fora do combinado' com apenas 53 anos, depois dessa última batalha que travou, contra o câncer, desde 2009. Deixa 5 filhos e a companheira, além de milhares de amigo(a)s, a quem manifesto publicamente toda a solidariedade. Para Déda, um prece sentida. A vida é por um fio, e de nós pede grandeza e brio."

Fernando Pimentel: "O povo perdeu um guerreiro da democracia e da justiça social.Nós perdemos um amigo. Vá em paz Marcelo Deda. O Brasil reverencia sua memória."

Fernando Haddad:  “É com muita tristeza que recebo a notícia do falecimento do governador e companheiro de partido Marcelo Déda. Registro minha solidariedade e desejo força à família neste momento difícil. O país perde um homem público de valor inestimável, cuja vida foi dedicada à construção de uma sociedade mais justa e fraterna.”

Marina Silva: "Que neste momento difícil Deus conforte a família e os amigos do governador sergipano Marcelo Déda"

Renan Calheiros:  "Déda foi um grande quadro do PT e um expoente da política nacional, tendo atuado, bravamente, na discussão dos grandes temas de Sergipe e do Brasil. Homem culto e de personalidade admirável, era dono de um carisma e de uma eloquência cativantes e de uma força notável. Essa força o acompanhou nos quatro anos durante os quais lutou contra a doença que, lamentavelmente, o consumiu. A política brasileira perde um grande nome. Os familiares de Déda e os sergipanos perdem um grande homem".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.