Cabral diz que pretende deixar governo do Rio em março para concorrer ao Senado

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Saída do governador do Rio antes do fim do segundo mandato ajudará a alavancar a candidatura do vice Pezão

Reuters

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), afirmou nesta segunda-feira que pretende deixar o governo em março, antes do término do mandato, para concorrer ao Senado nas eleições de 2014.

Cabral já vinha discutindo a saída antes do fim de seu segundo mandato para tentar alavancar a candidatura do vice, Luiz Fernando Pezão, que será lançado pelo PMDB na disputa para a sucessão estadual.

PT e PMDB caminham para palanque duplo em vários estados

Outubro: Lindbergh cobra saída imediata do PT do governo Cabral

Segundo o governador, a candidatura ao Senado ainda precisa ser aprovada pelo partido. "O Senado foi e é uma Casa da federação. Essa é uma decisão que cabe a uma aliança de partidos e vou colocar meu nome à disposição", disse Cabral a jornalistas.

O fim de março é a data estabelecida pela legislação eleitoral para a chamada desincompatibilização dos governantes de seus cargos para concorrer às eleições de 2014.

Cabral já ocupou uma vaga no Senado entre 2003 e 2006, quando renunciou ao cargo para disputar o governo do Estado.

A lista de pré-candidatos ao governo do Rio de Janeiro conta com nomes como o ex-governador Anthony Garotinho (PR), o ministro da Pesca, Marcelo Crivella (PRB), e o senador Lindbergh Farias (PT), além de Pezão.

A candidatura de Lindbergh pode representar um racha entre PT e PMDB, que há anos são aliados no Rio de Janeiro e em âmbito nacional. Nos últimos anos, o PT abriu mão de lançar candidatos próprios ao governo do Rio em troca de apoio nacional do PMDB aos governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff.

"Acho que a população não vai compreender uma saída repentina do PT do meu governo.... respeito o PT local, o senador Lindbergh, mas acho que isso tem de ser discutido no momento apropriado. Eles estão há 7 anos, e o PT é governo estadual", disse Cabral.

Leia tudo sobre: sérgio cabralrio de janeiroeleições 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas