Ministro da Justiça diz que vai processar tucanos por ofensas no caso Siemens

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Membros do PSDB questionaram a postura de Cardozo diante das denúncias de cartel no Metrô de São Paulo

Agência Estado

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou nesta quinta-feira, 28, que irá processar criminalmente e por danos morais as pessoas que lhe dirigiram injúrias. A afirmação refere-se aos encaminhamentos do caso Siemens. Segundo ele, a decisão tem por objetivo a uma proteção do cargo de ministro, que "exige respeito e tratamento digno". "Ofensas à honra jamais", disse o ministro, durante entrevista coletiva.

Conheça a nova home do Último Segundo

PSDB reage a denúncias de cartel e anuncia medidas contra ministro da Justiça

A reação do ministro é uma resposta às afirmações feitas nesta semana por lideranças do PSDB, que desaprovaram a atitude de Cardozo de encaminhar à Polícia Federal um documento de um ex-diretor da Siemens, que aponta suposto envolvimento de tucanos em uma empresa de consultoria que intermediaria o esquema do cartel da construção do metrô de São Paulo.

Segundo Cardozo, o chamaram de "sonso, membro de quadrilha, vigarista". "Estes serão processados". Ele não deu nomes de quem irá processar, mas disse que, além dos que o ofenderam, também irá processar os que entrarem com processo contra ele por calúnia. "Na política pode haver diferença. Desrespeito jamais", afirmou.

Leia mais: Ex-diretor da Siemens envolve seis políticos com cartel

O ministro disse que esteve com a presidente Dilma Rousseff, que lhe deu liberdade quando ele disse que processaria os tucanos. "Ela me deu total liberdade para conduzir esse caso", afirmou. Ainda com relação aos questionamentos sobre a tradução do documento do ex-diretor da Siemens, Cardozo diz que não está descartado que se tenha retirado informações do texto para se enviar a Siemens e não o contrário, como sugerem os tucanos.

Leia também:

Polícia Federal indicia lobista por lavagem e corrupção em contratos do metrô

Propina pode superar R$ 1 bilhão

Polícia Federal identifica repasse de R$ 19 milhões do cartel de trens em SP

"Querem transformar a investigação do cartel em disputa política", disse o ministro, numa referência à apuração sobre as denúncias de esquema de corrupção e formação de cartel na construção do metrô de São Paulo. Documento de um ex-diretor da Siemens entregue ao ministro Cardozo revelaria ainda o envolvimento de tucanos em uma empresa de consultoria que intermediaria o esquema do cartel.

"A Polícia Federal e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) não se intimidarão", disse Cardozo. "É evidente que, no Brasil, algumas pessoas pretendem desfocar uma investigação séria e rigorosa para uma polêmica eleitoral, uma disputa entre partidos, para saber quem agiu melhor, o partido A ou B. Querem uma cortina de fumaça", completou.

Leia tudo sobre: ministro da justiçasiemenspsdbcartelsão pauloigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas