Médicos da Câmara não veem ‘invalidez’ para conceder aposentadoria a Genoino

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Novo laudo sobre petista também descarta 'cardiopatia grave'. Junta recomendou que deputado fique em licença por mais 90 dias e depois seja periciado novamente

O diretor do Departamento Médico da Câmara, Jezreel Avelino da Silva, disse nesta quarta-feira (27) que o deputado licenciado José Genoino (PT-SP) não é portador de cardiopatia grave. “Não existe no momento invalidez definitiva, mas circunstância de ter riscos na atividade laboral”, disse o médico cardiologista Luciano Janussi Vacanti, integrante da junta médica que analisou o parlamentar. Genoino foi condenado à prisão em regime semiaberto na ação penal do mensalão.

Filha de Genoino sobre laudo: ‘Finalmente Barbosa tem o que queria’

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais:

Laudo de junta médica diz que Genoino não tem doença grave

Barbosa pede parecer de procurador-geral sobre prisão domiciliar de Genoino

Oslaim Brito/Futura Press
O ex-presidente do PT José Genoino ao se entregar na sede da PF em São Paulo

A junta recomendou que o deputado fique em licença por mais 90 dias, contados a partir dos exames feitos na segunda-feira (25), e depois seja periciado novamente. José Genoino entrou com o pedido de aposentadoria por invalidez na Câmara em setembro último.

Segundo Vacanti, houve uma piora do quadro de Genoino desde a análise pela perícia da Câmara em setembro por causa das tensões dos últimos dias que fizeram aumentar a pressão.

Nesta terça-feira (26), um laudo de cinco cardiologistas da Universidade de Brasília (UnB), a pedido do Supremo Tribunal Federal, afirmou que a cardiopatia do deputado "não se caracteriza como grave", mas recomenda que os medicamentos sejam "rigorosamente mantidos enquanto perdurar o tratamento anticoagulante". Antes de decidir, Joaquim Barbosa, presidente do STF, pediu parecer da Procuradoria-Geral da República.

Após a divulgação do laudo, a defesa de Genoino reafirmou que ele não tem condições de permanecer preso devido ao seu estado de saúde. Em nota divulgada hoje (26), o advogado Luiz Fernando Pacheco diz ter recebido as conclusões do laudo “com renovada esperança na recuperação” de Genoino. “Seguimos, pois, preocupados com sua saúde, já que, por óbvio, a cadeia, mesmo em regime semiaberto, não apresenta condições mínimas para seu completo tratamento e recuperação”, argumentou o advogado.

No dia 24 de julho, Genoino foi diagnosticado com uma dissecção da aorta (quando uma ou mais das três camadas da artéria se rompem forçando uma hemorragia interna) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. No hospital, ele sofreu uma isquemia cerebral leve - obstrução da circulação sanguínea no cérebro – e teve alta em 19 de agosto. Genoino está de licença médica da Câmara até 19 de setembro.

Com Agência Câmara

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas