Ex-presidente diz que o ministro da Justiça 'exagerou' no posicionamento tomado em relação ao caso do cartel

Agência Estado

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou nesta quarta-feira, 27, que a vinculação das denúncias sobre o cartel no fornecimento de trens para o Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) com o pagamento de propinas a lideranças do PSDB "não têm fundamento".

Caso Siemens: Petista vai interpelar tucanos por denúncia caluniosa

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: PSDB reage a denúncias de cartel de São Paulo

"As denúncias de cartéis tem de ser apuradas porque os cartéis se organizam. O que me pareceu é que a denúncia de vincular propinas, que eventualmente existiram, com líderes políticos não têm base", afirmou o ex-presidente após evento na Fundação iFHC.

Sem citar o PT, ou mesmo o mensalão, FHC afirmou que "não se pode colocar (tucanos) na mesma vala comum de aceitar propina para partido e para pessoas" e avaliou que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, "exagerou" no posicionamento tomado em relação ao caso do cartel nos trens em São Paulo.

"O ministro exagerou, vai refletir e tomar ações cabíveis que é apurar o cartel. Mas não se pode fazer denúncias, isso é inaceitável", disse FHC, que evitou tomar posição sobre o pedido de saída de Cardozo feito por tucanos. "Isso é problema da presidente da República e não é meu estilo", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.