Caso Siemens: petista vai interpelar tucanos por denúncia caluniosa

Por Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Simão Pedro nega acusação de integrantes do PSDB de que teria adulterado o documento no qual um ex-diretor da multinacional revela corrupção no metrô de São Paulo

O secretário municipal de Serviços Público e deputado estadual licenciado, Simão Pedro (PT), vai interpelar judicialmente os integrantes do PSDB que o acusaram de ter adulterado o documento no qual um ex-diretor da multinacional Siemens revela um suposto esquema de pagamento de propinas a tucanos de São Paulo.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: PSDB reage a denúncias de cartel de São Paulo

Em entrevista coletiva realizada na terça-feira, em Brasília, a cúpula do PSDB acusou o PT de adulterar o documento. Segundo os tucanos, o texto em inglês não trazia alguns trechos incluídos no papel em português.

Reprodução Facebook
Simão Pedro rebate acusação de tucanos

Participaram da coletiva o presidente nacional do PSDB e pré-candidato à presidente, Aécio Neves, o líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e os secretários estaduais de Energia, José Aníbal, e da Casa Civil, Edson Aparecido. Os três últimos são citados nominalmente na denúncia feita pelo ex-diretor da Siemens.

Ex-diretor da Siemens envolve seis políticos com cartel

Na coletiva, os tucanos pediram a demissão do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e, com base nas diferenças entre os textos em inglês e português, acusaram Simão Pedro de adulterar o documento. O ministro se defendeu dizendo que recebeu os documentos das mãos de Simão Pedro e os encaminhou à Polícia Federal. Do contrário, estaria prevaricando.

Simão nega ter feito a tradução e diz que vai interpelar judicialmente os acusadores. A interpelação é o primeiro passo para um processo por denunciação caluniosa. Os advogados do secretário estão analisando o vídeo da coletiva para identificar os responsáveis pela acusação.

Leia também:

Polícia Federal indicia lobista por lavagem e corrupção em contratos do metrô

Propina pode superar R$ 1 bilhão

Polícia Federal identifica repasse de R$ 19 milhões do cartel de trens em SP

"Pelo que foi dito ontem na entrevista coletiva já está configurado o crime de denunciação caluniosa por parte da direção do PSDB", disse o coordenador do setorial jurídico do PT, Marco Aurélio Carvalho.

Em mensagem ao iG, Simão Pedro negou ter feito qualquer tradução ou adulteração dos papéis. Segundo ele, os documentos em inglês e português são duas coisas diferentes e não versões diferentes do mesmo texto. “Era uma cópia da carta ao ombudsman da Siemens, em inglês, e um relatório em português baseado naquela carta”, afirmou.

Ele disse ter entregue os papéis ao ministro da mesma forma que os recebeu. O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), deve abordar o assunto em pronunciamento na tribuna da Câmara nesta quarta-feira. “Os tucanos estão se utilizando de dois documentos diferentes para dizer que são a mesma coisa e induzir a erro a imprensa brasileira”, disse ele. “São dois documentos distintos que o Simão encaminhou ao ministro mas o PSDB tenta vender como se fossem um só”, completou.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas