Câmara adia votação sobre cassação de Genoino

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Alegação para o adiamento é de que parte dos integrantes da Mesa, composta por sete deputados, não estará em Brasília amanhã

Agência Estado

Prevista para ocorrer nesta quinta-feira, 28, a reunião da Mesa Diretora da Câmara em que seria discutido um possível pedido de cassação do mandato do deputado licenciado José Genoino (PT-SP) foi adiada para a próxima terça-feira.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia tudo sobre o julgamento do mensalão

A alegação para o adiamento é de que parte dos integrantes da Mesa, composta por sete deputados, não estará em Brasília nesta quinta-feira. Na semana passada, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), havia dado um prazo de duas sessões, que deve se encerrar amanhã, para que a discussão sobre a perda do mandato do petista fosse iniciada pelos integrantes da Mesa.

Leia também: 

Câmara sinaliza que pode aposentar Genoino por invalidez

Laudo de junta médica diz que Genoino não tem doença grave

Condenado no processo do mensalão Genoino se encontra, atualmente, na residência de uma filha em Brasília onde aguarda uma decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a possibilidade de ele cumprir a pena em regime domiciliar. O petista apresentou no último mês de setembro pedido de aposentadoria por invalidez na Câmara, após ser submetido a uma cirurgia cardíaca no meio do ano.

Na tarde desta quarta, integrantes da junta médica da Casa devem apresentar um laudo a respeito do pedido do deputado. A tendência é que os servidores, assim como foi feito em setembro, peçam que seja cumprido o prazo de quatro meses para que um parecer conclusivo seja emitido. Esses quatro meses se encerram em meados de janeiro.

Há também a possibilidade de a junta apresentar um laudo a favor de Genoino, que teria direito a uma aposentadoria integral no valor de R$ 27,6 mil. Se isso ocorrer, um possível processo de cassação não deve ser iniciado. A terceira possibilidade é que os servidores considerem que o caso do petista não requer que ele seja aposentado.

Leia tudo sobre: CongressoHenrique AlvesGenoinomensalão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas