Em Paris, Haddad promete rastrear contas no exterior de acusados de desviar ISS

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Prefeitura de São Paulo desmantelou, em outubro, uma quadrilha de servidores que desviou, segundo estimativas, cerca de R$ 500 milhões dos cofres públicos municipais

BBC

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, declarou nesta terça-feira em Paris que estão sendo rastreadas atualmente contas bancárias da máfia do ISS (Imposto sobre Serviços) no exterior.

Conheça a nova home do Último Segundo

Auditor de fraude no ISS diz que gastava R$ 10 mil com garotas de programa

"Estamos indo atrás de outras contas bancárias, inclusive no exterior e estamos rastreando outras propriedades", disse o prefeito. "Isso pode aumentar para além dos R$ 80 milhões já apurados (e bloqueados pela Justiça) e pode representar ressarcimento à população de São Paulo", afirmou Haddad em uma coletiva na embaixada brasileira em Paris.

A prefeitura de São Paulo desmantelou, em outubro, uma quadrilha de servidores públicos que desviou, segundo estimativas, cerca de R$ 500 milhões dos cofres públicos municipais.

O desvio foi feito por meio de um esquema em que o valor do ISS que deveria ser pago por construtoras era reduzido mediante o pagamento de propina. Haddad ressaltou que a divulgação de dados sobre essas eventuais contas no exterior pertencentes à máfia do ISS só ocorrerá "após elas terem sido bloqueadas".

Leia mais: Prefeitura diz que cobrará explicações de 60 construtoras

Ministério Público investigará novos nomes ligados à máfia do ISS

"Qualquer antecipação antes do bloqueio pode ensejar saques", afirmou o prefeito.

Expo 2020

O prefeito está na capital francesa para acompanhar a escolha da cidade que irá sediar a Exposição Universal de 2020. São Paulo está na disputa com mais três candidatas: Dubai, nos Emirados Árabes, Izmir, na Turquia, consideradas favoritas, e Ekaterimburgo, na Rússia.

A escolha será feita pelo Bureau Internacional de Exposições (BIE) na tarde de quarta-feira, em uma votação com três turnos, que eliminará, a cada vez, o nome de uma cidade.

Haddad preferiu não fazer prognósticos e afirmou que as quatro cidades "são fortes candidatas". Segundo ele, a candidatura de Izmir, na Turquia, se aproxima da proposta brasileira.

"Tudo dependerá muito do que vai acontecer no primeiro turno da votação e qual será a primeira cidade eliminada", disse o prefeito, sugerindo que isso pode mudar os resultados, já que os votos obtidos pela cidade eliminada serão transferidos a outros candidatos no turno seguinte.

Mas há sinais de que as autoridades brasileiras não estariam achando possível a vitória da capital paulista.

Diferentemente de apresentações anteriores das candidaturas, em Paris, que tiveram também a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do vice-presidente brasileiro, Michel Temer, nenhuma autoridade estadual ou federal estará presente no dia da escolha da cidade vencedora.

Competitividade

Haddad afirmou que a escolha do Brasil como país sede da Copa do Mundo e dos Jogos Olímplicos foi um argumento utilizado pelas cidades rivais para tentar reduzir os votos de São Paulo.

Embora tenha ressaltado que a expectativa é de "vitória", Haddad lembrou a "dificuldade da disputa" e afirmou que já é importante ter apresentado "uma candidatura consistente".

"Foi a primeira vez que o Brasil apresentou uma candidatura para a realização de uma Exposição Universal", declarou Haddad, ressaltando, com certo tom de conformismo em relação ao possível resultado, que o Brasil não venceu todas as disputas em que participou para sediar Copas do Mundo ou Olimpíadas.

"Em uma disputa dessa natureza não há derrota. Vamos eventualmente repensar o que fazer", afirmou Haddad. Mas o prefeito preferiu não dizer se o projeto apresentado atualmente poderia ser reutilizado no futuro caso a capital paulista não seja escolhida.

"Vamos torcer e utilizar os últimos minutos para angariar mais apoio", afirmou o prefeito.

A Exposição Universal é considerada o terceiro evento mais importante em termos de impacto econômico e cultural, atrás da Copa do Mundo e das Olimpíadas.

Leia tudo sobre: haddadauditor fiscalfraude issprefeitura de são pauloigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas