STF arquiva pedido de liberdade ex-diretor do Banco Rural

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

O ministro Luís Roberto Barroso rejeitou alegação de José Roberto Salgado, que queria aguardar em liberdade o julgamento dos embargos infringentes

Agência Estado

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou pedido de liberdade para o ex-dirigente do Banco Rural José Roberto Salgado. A defesa dele havia entrado na terça-feira (19) com pedido para livrá-lo da prisão enquanto não ocorrer o novo julgamento a que tem direito pelo crime de formação de quadrilha. Desde sexta-feira passada, ele cumpre pena no processo do mensalão pelas condenações por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e gestão fraudulenta de instituição financeira.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia tudo sobre o julgamento do mensalão

Barroso rejeitou o pedido em decisão divulgada nesta quinta-feira, 21, no Diário de Justiça Eletrônico usando um argumento técnico. Segundo ele, a reclamação, o instrumento usado pelo advogado de Salgado, o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, é "juridicamente incabível" para cassar decisões do próprio Supremo.

Leia também: Imagens de Genoino durante suposta avaliação médica vazam na internet

Ainda assim, o ministro fez considerações jurídicas sobre o pedido da defesa. Ele disse que não há "discrepância" entre a carta de sentença e o pedido de embargos infringentes feito pela defesa de Salgado, que também quer novo julgamento para os crimes de lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta. Essas duas últimas condenações já são objeto de execução imediata da pena. Para Barroso, a decisão questionada se limitou a dar cumprimento da decisão do plenário da semana passada.

"Havendo penas a cumprir que se tornaram inquestionáveis, não há motivo que imponha o retardamento da sua execução", disse o ministro.

Leia tudo sobre: mensalãojulgamento do mensalão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas