Simone Vasconcelos e Romeu Queiroz pedem transferência para Belo Horizonte

Por iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-funcionária de Marcos Valério e ex-deputado foram transferidos para Brasília a pedido de Barbosa

Agência Brasil

Os advogados de defesa de Simone Vasconcelos, condenada a dez anos e dez meses de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão, pediu hoje (19) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que ela seja transferida para Belo Horizonte (MG). Simone apresentou-se à Polícia Federal, na capital mineira, na sexta-feira (15), mas foi transferida para Brasília junto com outros nove condenados que tiveram a prisão decretada pelo presidente do Supremo, Joaquim Barbosa.

Conheça a nova home do Último Segundo

Veja a pena e o regime de prisão dos 12 condenados no mensalão

Presas pelo mensalão, Kátia e Simone tomam banho de sol em presídio

Por determinação do juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Ademar Silva de Vasconcelos, ela está presa com a ex-presidenta do Banco Rural, Katia Rabelo, condenada a 14 anos e cinco meses de prisão, no 19º Batalhão da Polícia Militar, dentro do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

A defesa do ex-deputado Romeu Queiroz (PTB-MG) também pediu transferência para Belo Horizonte, alegando que ele tem emprego em sua própria empresa na capital mineira, a RQ Participações S.A., onde ele exerce a função de diretor presidente.

Em sua petição, ele alega que já é idoso e não representa perigo. A defesa indica a colônia agrícola José Maria Alkimin, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de BH para Queiroz cumprir sua pena em regime semiaberto.

Os pedidos serão analisados pelo presidente do STF, Joaquim Barbosa. Além de Simone, outros seis réus foram transferidos de Belo Horizonte para Brasília e também podem pedir para cumprir a pena na capital mineira: José Roberto Salgado, ex-vice-presidente do Banco Rural; o publicitário Marcos Valério; Kátia Rabello, ex-presidenta do Banco Rural; Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, ex-sócios de Valério. Dois réus entregaram-se em São Paulo: o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e o ex-presidente do PT e deputado federal (SP) José Genoino.

Com Agência Brasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas