Laudo do IML aponta que Genoino tem ‘doença grave aguda’

Por Wilson Lima e Renan Truffi - iG Brasília e iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Advogado de defesa do deputado e a Procuradoria-Geral foram notificados sobre resultado dos exames

Laudo do IML (Instituto Médico Legal) sobre o estado de saúde do ex-presidente do PT José Genoino, um dos 11 presos do mensalão, aponta que ele tem “doença grave aguda”. O resultado dos exames a que o parlamentar se submeteu na tarde desta terça-feira (19) foi repassado ao advogado de defesa e à Procuradoria-Geral da República.

O laudo foi feito a pedido do juiz do Distrito Federal Ademar Vasconcelos, responsável por executar as penas dos condenados do mensalão. O coordenador do setor jurídico do PT Marco Aurélio de Carvalho afirmou que a família recebeu a notícia com serenidade e o estado de saúde do petista não é uma novidade. "A esposa dele me disse agora: ‘Infelizmente, isso não é motivo para comemorar. A gente queria que ele estivesse bem de saúde, que ele não estivesse passando por isso’. Nós denunciamos esse problema. Isso só comprova como essa prisão em regime fechado é inoportuna”, afirmou.

Conheça a nova home do Último Segundo

Juntos na cela: Dirceu, Genoino e Delúbio relembram prisões da ditadura

Irmão: ‘Mais três dias assim e Genoino não chega até quinta’

Futura Press
Genoino foi o primeiro a se entregar na sede da Polícia Federal

Genoino, desde que foi preso na última sexta-feira, passou mal e teve de ser atendido por médicos. De acordo com seus advogados, ele teria tido uma crise de pressão alta no sábado (16), quando foi levado para Brasília. E, na madrugada de domingo, o petista teria sido atendido por um médico particular dentro do presídio.

Há quatro meses, o petista passou por uma cirurgia cardíaca para correção de uma descamação da aorta. Ele ainda se submete a tratamento e toma medicação para se recuperar da intervenção cirúrgica.

A família está preocupada com a saúde de Genoino na prisão. “Mais três dias assim e Genoino não chega até quinta-feira”, disse o irmão José Guimarães (PT-CE, líder petista na Câmara.

Prisões do mensalão: Ministros do STF pedem reflexão sobre sistema prisional

Marco Aurélio minimiza fuga de Pizzolato: É preciso ‘compreender a angústia’

Condenado a seis anos e 11 meses de prisão em regime semiaberto, Genoino foi o primeiro a se entregar à Polícia Federal, em São Paulo, na última sexta (15), depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) expediu mandado de prisão contra ele e outros 11 condenados.

No final de semana, a defesa de Genoino ingressou com duas petições no Supremo: uma pedindo a transferência dele para São Paulo e outra requerendo que ele possa cumprir prisão em regime domiciliar, em função de seu estado de saúde.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas