Presos na mesma cela, Dirceu, Genoino e Delúbio choram com histórias do passado

Por Wilson Lima , iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Petistas que estão na mesma cela na Penitenciária da Papuda, em Brasília, receberam visitas de advogados nesta segunda-feira e tentaram demonstrar força

Dividindo a mesma cela na Penitenciária da Papuda em Brasília, o ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu, o ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) José Genoino e o ex-tesoureiro da legenda Delúbio Soares tiveram vários momentos de emoção e chegaram a chorar, entre a noite de domingo e a manhã desta segunda-feira, ao relembrar dos tempos em que eles foram presos pela Ditadura Militar.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: PT prepara medida contra Barbosa nas prisões do mensalão

Genoino pede ao STF para cumprir pena em casa

Dirceu, Genoino e Delúbio vêm afirmando desde o final de semana que são os “primeiros presos políticos em pleno Estado Democrático de Direito”. A interlocutores, eles classificaram as prisões efetuadas nesse final de semana como ilegais, comparando-as com as ocorridas durante o Regime Militar.

O ex-ministro Chefe da Casa Civil, por exemplo, lembrou aos colegas o tempo em que ficou preso durante os anos de 1960. Ao relembrar a primeira vez que ficou preso, Dirceu emocionou-se, depois respirou fundo e disse na cela: “Vamos encarar isso com serenidade.” Genoino e Delúbio também ficaram comovidos e emocionados com as lembranças dos tempos em que eles faziam parte de movimento estudantil. Após relembrar algumas histórias de juventude, compararam as prisões a “um tempo que já deveria ter sido esquecido”.

Delúbio e Dirceu também demonstraram extrema preocupação com o estado de saúde de Genoino. Com problemas cardíacos, Genoino chegou a passar mal durante seu translado à Brasília na sexta-feira pela tarde. Delúbio Soares, conforme interlocutores, classificou a situação do colega como desumana.

O ex-ministro José Dirceu chegou à sede da PF acompanhado do advogado e foi recebido aos gritos por militantes do PT (15/11). Foto: Futura PressO ex presidente do PT José Genoino foi o primeiro condenado do mensalão a se entregar. Ele se entregou na sede da Polícia Federal (15/11). Foto: Futura PressAo se entregar, José Genoino foi aplaudido por alguns militantes do PT que estavam em frente ao prédio da PF (15/11). Foto: Oslaim Brito/Futura PressDelúbio deixa o edifício central no setor comercial sul, em Brasília, após mais um dia de trabalho na CUT. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaAntes de embarcar para Brasília, eles fizeram exame de corpo de delito (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressEntre os detidos estava Marcos Valério, o operado do mensalão (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressAvião da Polícia Federal com condenados no julgamento do Mensalão, no Aeroporto da cidade de Brasília (DF), neste sábado (16). Foto: Pedro França/Futura PressAntes de chegar em Brasília, o avião da Polícia Federal passou em São Paulo e em Minas Gerais. Foto: Pedro França/Futura PressO ex-ministro José Dirceu desembarcou acompanhado de agentes. Foto: Pedro França/Futura PressAntes de chegar em Brasília, o avião passou por Minas Gerais. Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura PressOs condenados no mensalão chamaram atenção de populares. Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura PressMilitantes do PT protestam em frente a  Polícia Federal em Brasília. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaMilitantes do PT se reúnem em frente ao prédio da Polícia Federal em Brasília. Os nove condenados do mensalão que se entregaram em SP e MG chegaram a Brasília . Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaEm frente a sede da Polícia Federal em Brasília, militantes do PT esperam por condenados no mensalão. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaNo grupo detido em Minas Gerais também está Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressAntes de ser levada para Brasília, Kátia teve que dividir cela com Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Valério (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressRomeu Queiroz, ex-deputado (PTB), também teve que se apresentar à Polícia Federal. Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressCristiano Paz, ex-sócio de Marcos Valério, passou por exame de corpo de delito. Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressRamon Hollerbach, que também teve de se apresentar à PF, é o outro ex-sócio de Marcos Valério. Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressJosé Roberto Salgado é ex-executivo do Banco Rural. Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressSete condenados no mensalão se entregaram em Minas Gerais. Eles foram hostilizados pela população (16/11). Foto: Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura PressProtesto contra prisão do ex ministro chefe da Casa Civil José Dirceu em frente à sede da Polícia Federal (PF), em Brasília (DF) (16/11). Foto: Futura PressO advogado de José Dirceu José Luís de Oliveira Lima concede entrevista em frente à sede da PF de São Paulo (16/11). Foto: Futura PressManifestantes do PT se reúnem em frente à sede da PF de Brasília para protestar contra prisão dos condenados do mensalão (16/11). Foto: Marcel Frota/iG BrasíliaAdvogado Marthius Sávio Lobato concede entrevista sobre seu cliente, Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão que fugiu para a Itália (16/11). Foto: Futura PressEx-presidente do PT José Genoino e ex-ministro da Casa Civil José Dirceu deixaram a sede da PF em direção ao Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (16/11). Foto: Futura PressMarcos Valério se entrega na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (MG) (15/11). Foto: Futura PressO ex-tesoureiro do PL Jacinto Lamas se entregou na sede da Polícia Federal em Brasília (15/11). Foto: Futura PressA ex-funcionária de Marcos Valério Simone Vasconcelos se entrega na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (MG) (15/11). Foto: Futura PressA ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello se entregou na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte. Ela estava acompanhada do advogado (15/11). Foto: Futura PressRomeu Queiroz se entrega na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (15/11). Foto: Futura PressEx-sócio de Marcos Valério Ramon Hollerbach se entrega na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (MG) (15/11). Foto: Futura Press

Durante esta segunda-feira, advogados dos petistas visitaram seus clientes na Penitenciária da Papuda. A defesa de Dirceu afirmou que ele “é preparado para as coisas boas e difíceis da vida. Tem consciência do sistema penitenciário brasileiro e é sabedor de sua situação”. A defesa de Delúbio disse que ele está “sereno” e que pretende “dar várias demonstrações de força” na prisão.

Até a tarde desta segunda-feira, Dirceu e Genoino haviam impetrado petições no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo o relaxamento das prisões em regime fechado. Ambas as defesas classificaram como ilegais as prisões em regime fechado já que elas ocorreram sem as cartas de sentenças com a confirmação do tempo de prisão de cada um.

A defesa de Delúbio Soares deve impetrar até a manhã desta terça-feira uma petição pedindo a execução da prisão em regime semiaberto em São Paulo.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas