Juiz decide mandar Dirceu, Genoino e Delúbio para o regime semiaberto

Por Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Eles seguem para o Centro de Internamento e Reeducação (CIR); outros presos também são transferidos

O juiz titular da Vara de Execuções Penais do TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios), Ademar Silva de Vasconcelos, decidiu nesta segunda-feira (18) autorizar o ex-ministro José Dirceu, o deputado José Genoino e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares a cumprir pena no regime semiaberto. Os três estavam na mesma cela na Penitenciária da Papuda desde sábado (16). Eles seguem para o Centro de Internamento e Reeducação (CIR), que fica dentro do próprio Complexo Penitenciário da Papuda.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: PT prepara medida contra Barbosa nas prisões do mensalão

Veja a pena e o regime de prisão dos 12 condenados no mensalão

Genoino pede ao STF para cumprir pena em casa

Oslaim Brito/Futura Press
O ex-presidente do PT José Genoino se entrega na sede da PF em São Paulo

A ordem saiu depois que as defesas dos petistas recorreram, no sábado (16), no Supremo Tribunal Federal para que seja garantido o regime inicial de cumprimento de pena, o semiaberto. Na petição, anexada ao processo do mensalão, o advogado de Genoino, Luís Fernando Pacheco, cobrava que ele fosse imediatamente colocado nesse regime. A defesa de Dirceu, liderada pelo advogado José Luís Oliveira Lima, fala em "gravíssimo equívoco" sobre o regime de cumprimento da pena.

OAB classifica prisão de José Genoino como 'ilegal e arbitrária'

Presos, Dirceu, Genoino e Delúbio choram com histórias do passado

Outros réus foram beneficiados pela decisão do juiz do DF. Romeu Queiroz, ex-deputado (PTB), também vai para o semiaberto na mesma unidade que os petistas. Kátia Rabello (ex-presidente do Banco Rural) e Simone Vasconcelos (ex-funcionária de Marcos Valério) seguem para o 19º batalhão da PMDF. Continuam na penitenciária da Papuda os quatro condenados em regime fechado: publicitário Marcos Valério, os ex-sócios Cristiano Paz e Ramon Hollerbach e o ex-presidente do Banco Rural José Roberto Salgado. 

A discussão se estabeleceu no meio jurídico depois que parte dos condenados foi recolhido ao Complexo da Papuda, em Brasília, durante o final de semana, mesmo tenso sido condenada apenas ao regime semiaberto. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também considerou "incorreta" e "ilegal" a prisão dos colegas de partido.

O advogado Arnaldo Malheiros Filho, defensor do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, afirmou que a decisão do TJDFT apenas cumpre "o que está determinado pela legislação". Além disso, o próprio presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Wadih Damous, classificou a prisão do trio petista em regime fechado como "uma ilegalidade e uma arbitrariedade”.

Leia tudo sobre: julgamento do mensalãomensalão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas