Ministério da Justiça nega que Genoino tenha passado mal em presídio

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Há quatro meses, o ex-presidente do PT passou por uma cirurgia no coração; desde que foi preso, na última sexta, Genoino passou por dois atendimentos médicos

O Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão ligado ao Ministério da Justiça, divulgou nesta segunda-feira (18) uma nota oficial negando que o deputado federal licenciado José Genoino (PT-SP) tenha passado mal na Penitenciária da Papuda, em Brasília, como alegam seus advogados.

Conheça a nova home do Último Segundo

Genoino passa mal em sua primeira noite em presídio de Brasília

Dirceu e Genoino: Defesas recorrem ao Supremo por prisão em semiaberto

Embora não cite o nome do petista, a nota afirma que "com relação à consulta realizada em um dos detentos, essa se deu em razão da ausência de receitas médicas para alguns medicamentos de uso contínuo. Não houve intercorrência médica até o momento". Familiares e amigos, no entanto, temem pela saúde do ex-presidente do PT condenado no mensalão. 

Oslaim Brito/Futura Press
O ex-presidente do PT José Genoino se entrega na sede da PF em São Paulo

Condenado a seis anos e 11 meses de prisão em regime semiaberto por envolvimento no mensalão, Genoíno se entregou à Polícia Federal, em São Paulo, na última sexta (15), depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) expediu mandado de prisão contra ele e outros 11 condenados.

Há quatro meses, ele passou por uma cirurgia para correção de uma descamação de aorta, o que o colocava sob o risco de sofrer hemorragias.

De acordo com seus advogados, ele teria tido uma crise de pressão alta no sábado (16), quando foi levado para Brasília. E, na madrugada de domingo, o petista teria sido atendido por um médico particular dentro do presídio.

Revolta: PT prepara medida contra Barbosa nas prisões do mensalão

Contrário à detenção, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Wadih Damous, também divulgou nota lembrando que “a prisão de condenados deve ser feita com respeito à dignidade da pessoa humana e não servir de objeto de espetacularização midiática e nem para linchamentos morais descabidos".

No final de semana, a defesa de Genoino ingressou com duas petições no Supremo: uma pedindo a transferência dele para São Paulo e outra requerendo que ele possa cumprir prisão em regime domiciliar, em função de seu estado de saúde. Hoje pela manhã, as duas petições foram encaminhadas à Procuradoria Geral da República (PGR) para posicionamento do órgão antes de uma definição do presidente do Supremo, Joaquim Barbosa.

Penitenciária da Papuda

Ainda segundo a nota do Depen, "os presos foram recolhidos à custódia federal em caráter provisório porque houve recusa da vara de execuções penais do Distrito Federal em receber os presos sem a carta de sentença".

O departamento já informou ao presidente do STF, Joaquim Barbosa, que os presos devem ser transferidos para outras unidades do complexo da Papuda, de acordo com regime da pena: "Tal medida é necessária em razão das instalações do Depen possibilitarem apenas o cumprimento provisório da pena em regime fechado, em unidade prisional tipo cadeia pública".

A nota informa ainda que todos os presos tem direiro a camas individuais, "recebem alimentação conforme prescrição médica e têm duas horas de banho de sol por dia".

Leia tudo sobre: políticajosé genoinogenoinomensalãosaúdehipertensão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas