Defesa de Lamas pede anulação de ata de julgamento do mensalão

Por Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Advogados alegam que resultado não foi proclamado na Corte; eles classificam réus como "detentos clandestinos”

A defesa de Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do PL, preso após ser condenado no julgamento do mensalão ingressou com uma petição nesta segunda-feira pedindo a anulação da ata da sessão da quarta-feira da semana passada. Nessa sessão foi determinada a prisão dos réus do mensalão.

Conheça a nova home do Último Segundo

Presos, Dirceu, Genoino e Delúbio choram com histórias do passado

Juiz decide mandar Dirceu, Genoino e Delúbio para o regime semiaberto

Ministros do STF questionam decisão de Barbosa sobre prisões do mensalão

Segundo a defesa de Lamas, não houve oficialmente a proclamação do resultado durante a sessão da semana passada. Além disso, a defesa afirmou que a “ata do julgamento não reflete a decisão dos Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)”.

Agência Brasil
Jacinto Lamas - Ex-tesoureiro do PL, teria articulado com Marcos Valério um contrato para legalizar propina no partido

“Não houve qualquer proclamação de resultado. Este era o comentário geral quando da saída de todos do Supremo Tribunal Federal. Isto é o que foi, inclusive, divulgado pela imprensa como sendo o pensamento de alguns Ministros dessa Corte”, afirmou a defesa de Lamas.

Leia mais: Ex-diretor do BB condenado no mensalão está na Itália e não vai se entregar

Durante o final de semana, o iG revelou que alguns ministros do STF criticaram, de forma reservada, a decisão de Barbosa de determinar a prisão dos réus do mensalão. E um dos pontos levantados pelos ministros, conforme o iG apurou, era justamente a falta de clareza quanto à proclamação do resultado de quarta-feira da semana passada.

“Continuavam todos sem entender o que acontecera, até porque o julgamento não se encerrara, até que no dia seguinte, feriado de sexta-feira, foram surpreendidos com a espetaculosa expedição dos mandados de prisão dos acusados, onde só então puderam ter acesso ao teor da ata de julgamento ora impugnada”, aponta a defesa de Lamas.

Na prática, a defesa de Lamas pretende anular o resultado do julgamento e pedir benefícios aos réus argumentado ilegalidades nas prisões. Essa estratégia de argumentar ilegalidades é semelhante às das defesa do ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu e do ex-presidente do PT José Genoino.

Leia tudo sobre: julgamento do mensalãomensalão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas