Citado em gravações de quadrilha, secretário de Haddad pede afastamento do cargo

Por Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Donato é citado em investigação, mas nega envolvimento; ainda não se sabe quem ocupará a secretaria

O secretário de Governo da Prefeitura de São Paulo, Antonio Donato, pediu nesta terça-feira (12) afastamento do cargo após ser citado em gravações de membros da quadrilha do ISS (Imposto sobre Serviços).

Donato, homem forte do governo Haddad, teria tomado a iniciativa para deixar que as investigações sigam em frente, mas nega envolvimento com o caso.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: Fiscal suspeito de fraude trabalhou com secretário de Haddad

Facebook/Reprodução
Citado em grampos da quadrilha do ISS, Donato pede afastamento de secretaria

Por volta das 14h, o secretário estava reunido com o prefeito Fernando Haddad, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, e o presidente estadual do partido, Emídio de Souza. Haddad aceitará o pedido de afastamento.

Ainda não se sabe quem ocupará a secretaria no lugar de Donato, que voltará para a Câmara Municipal. O maior cotado é o atual secretário de Saúde, José de Fillipi Júnior.

Em nota, Donato diz ter identificado "uma orquestração por parte dos servidores investigados para envolvê-lo de forma leviana e, assim, atrapalhar o curso das investigações".

Leia também:

Quadrilha do ISS é suspeita de cobrar para zerar dívidas de IPTU

Construtoras pagavam mesada para quadrilha do ISS em SP

MP investiga fraude com ISS em 652 prédios de luxo de São Paulo

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo desta terça-feira (12), um dos fiscais presos sob suspeita de participação no esquema de fraude ao ISS trabalhou por três meses na equipe de Donato,

O nome do secretária aparece em mais de uma gravação entre membros da quadrilha. Numa ocasião, o auditor Ronilson Bezerra Rodrigues, apontado como líder da esquema, diz que vai chamar Donato e Douglas Amato, o atual chefe Subsecretário da Receita Municipal. O esquema pode ter gerado prejuízo de até R$ 500 milhões aos cofres públicos.

Escutas telefônicas feitas pelo Ministério Público Estadual mostram conversas do auditor Luis Alexandre Magalhães, um dos quatro funcionários da Prefeitura acusados por participar do esquema, com uma mulher apontada como sua amante. Na conversa, a mulher cita o nome de Donato como tendo recebido dinheiro de Magalhães.

No início do mês, Donato afirmou conhecer Rodrigues apenas como um "funcionário capacitado, com bagagem técnica".

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas