PT estima queda no número de votantes em eleições internas

Por Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Queda em relação à última disputa chega a 70 mil participantes; Falcão lidera em apuração parcial

A direção do PT estima que cerca de 450 mil filiados participaram do Processo de Eleições Diretas (PED) neste domingo. O número representa 55% dos 808 mil petistas aptos a votar e uma queda de quase 70 mil participantes em relação à última eleição, realizada em 2009, que teve 518 mil votantes. Segundo fontes petistas, a estimativa foi feita pela Secretaria de Organização a integrantes do diretório nacional do partido na tarde desta segunda-feira.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: Números preliminares indicam alta abstenção nas eleições do PT

Os petistas apontam dois fatores para a queda no número de votantes. O primeiro é a mudança nas regras que estipulou prazos para pagamento das contribuições partidárias. Até 2009, as contribuições podiam ser pagas na hora de votar.

O segundo fator é a falta de competitividade entre os candidatos a presidente nacional e também, em alguns casos, a presidente estadual. O atual presidente, Rui Falcão, montou uma aliança que encampou cerca de 70% do diretório nacional. Segundo a última parcial divulgada pelo PT às 15h, com 37% dos votos apurados Falcão liderava com 69,81% dos votos seguido por Paulo Teixeira com 18,31%, Valter Pomar com 6,62%, Renato Simões com 3,13%, Markus Sokol com 1,48% e Serge Goulart com 0,45%.

Leia também:
Lula diz que população entendeu mal aumento do IPTU anunciado por Haddad
Dilma vota em Brasília nas eleições internas do PT
'O Brasil sabe que sou inocente', diz José Dirceu após eleição interna do PT

Previsões feitas por dirigentes petistas apontam para a realização de segundo turno na disputa pela presidência estadual em apenas oito estados. Entre eles Rio de Janeiro e Minas Gerais, onde os dois candidatos pertencem à corrente majoritária Construindo um Novo Brasil (CNB).

"Houve uma quebra muito grande principalmente nas capitais por causa dos prazos para pagamentos", disse Francisco Rocha, o Rochinha, coordenador da CNB.

Para Paulo Teixeira, da Mensagem, a queda do número de votantes é resultado do modelo do PED. "É um modelo esgotado que esvazia do debate", disse ele.

Valter Pomar, da Articulação de Esquerda, criticou uma suposta tentativa de inflar artificialmente o número de filiados aptos. "Transformaram uma grande vitória que é ter quase meio milhão de votantes em um problema por causa de uma suposta esperteza", disse ele.

Se a previsão se confirmar será a primeira vez desde que o PED foi instituído, em 2001, que o PT registra uma queda no número de participantes.

Leia tudo sobre: ptpedeleições internasrui falcão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas