Dilma quer se preparar para campanha com guru da Índia

Por Luciana Lima iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Adepta da meditação transcendental, a presidente pediu tempo para receber a guru Rajshree Patel. Na campanha passada, Dilma contou com uma guru pernambucana

Em um ambiente de crescimento econômico incerto, turbulências na relação com o Congresso, traições e rompimentos na base aliada, sem falar na espionagem geral de e-mails e ligações telefônicas, a presidente Dilma Rousseff deverá contar em sua campanha à reeleição com uma arma inusitada: meditação transcendental.

Conheça a nova home do Último Segundo

Dilma já avisou aos seus secretários pessoais que quer receber a visita da guru Rajshree Patel em sua próxima visita ao Brasil que deve ocorrer em maio do próximo ano.

Nascida em Uganda, na África, e criada na Índia, Rajshree Patel é uma seguidora do guru Ravi Shankar, um dos mais influentes líderes espirituais indianos, militante respeitado na área de direitos humanos.

Leia também:

‘Seria bom fugir para namorar’, diz Dilma sobre quebra de rotina

Dilma cai para 20ª posição na lista de mais poderosos da Forbes

O contato com a guru, uma das mais respeitadas em todo mundo, tem sido feito pelo deputado federal João Paulo Lima (PT-PE), também adepto da meditação. “Dilma é adepta da meditação transcendental. Ela fez o curso, aprendeu a técnica e sempre meditava. Não sei se ela está meditando agora”, disse o deputado.

“Para voltar a meditar talvez precise de uma reciclagem. Às vezes, as pessoas esquecem seus mantras e precisam novamente lembrar a técnica”, explicou o deputado que tem intermediado o encontro.

Divulgação
Adriane Brasileiro

“Mergulho”

Este não será o primeiro contato de Dilma com a meditação transcendental. Em 2009, João Paulo Lima apresentou à Dilma, então ministra da Casa Civil, a guru pernambucana Adriane Brasileiro.

“João Paulo havia me dito que o ex-presidente Lula a queria como candidata a presidente. Eu simplesmente respondi a ele que se ela começasse a meditar, com certeza ela seria a presidente”, enfatizou a guru, em entrevista ao iG.

Na época, Dilma se recuperava do tratamento que fez para um câncer no sistema linfático e se preparava para a corrida presidencial. Por três dias, de acordo com Adriane, Dilma “mergulhou” nos ensinamentos sobre a meditação em aulas que aconteciam na casa em que morava no Lago Sul. “Ela até me apresentou Negão, o cachorro que ganhou do José Dirceu quando ele saiu da casa deixando o governo”, detalhou a guru.

“Eu não a conhecia até então. Ela era ministra da Casa Civil, mas o nome dela já havia começado a circular como a futura candidata à presidência da República. Ela me recebeu de forma muito gentil e, após a primeira aula, ficou muito entusiasmada. A primeira coisa que fez foi ligar para João Paulo e agradecer pela minha indicação”, disse Adriane.

Depois do curso intensivo de meditação, ao custo de R$ 1 mil, Dilma procurou seguir a risca os ensinamentos. “Eu até percebi que em alguns momentos ela usava termos que são bem característicos de quem pratica a meditação. Uma vez, em uma entrevista, eu a vi dizendo que o melhor para o corpo é a atividade física e para a mente, o mergulho. Esse mergulho refere-se à meditação, porque para nós a mente é um oceano”, observou a guru.

Consciente coletivo

Economista por formação, Adriane chegou a dar conselhos à Dilma sobre a condução da política econômica. “Percebi logo que se tratava de uma pessoa muito firme que sabe o que quer e que não tinha tempo a perder. Um dia disse a ela que para fazer mais pela economia do país era necessário elevar a consciência coletiva. Ela riu e concordou comigo”, contou Adriane.

“Não há necessidade de ninguém passar fome, viver na miséria. Quando se eleva o consciente coletivo, se eleva também o merecimento das pessoas. Todos passam também a merecer melhores políticos”, teorizou Adriane que tem em sua carta de cliente muitos políticos e artistas.

Entre os alunos famosos de Adriane estão o próprio deputado João Paulo, o ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Patrus Ananias (PT-MG), o senador Humberto Costa (PT-PE); o ministro do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro Filho; o prefeito de Jaboatão dos Guararapes Elias Gomes da Silva; os músicos Geraldo Azevedo e Nando Cordel, além da atriz Priscila Camargo.

Leia tudo sobre: políticadilmacampanhaguruadriane brasileiroRajshree Patel

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas