Presidente reuniu 15 ministros neste sábado e manifestou preocupação com atraso de obras em todo o País. Novos encontros devem ser convocados

A presidente Dilma Rousseff (PT) cobrou maiores resultados em uma reunião com 15 ministros que durou cerca de sete horas neste sábado (2), no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República. A presidenta quer implantar um plano para atenuar críticas, estancar eventuais quedas em índices de popularidade e anular o avanço de uma eventual candidatura de Eduardo Campos (PSB) e Marina Silva (PSB), considerados hoje como uma preocupação do Planalto, principalmente na região Nordeste.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: Dilma diz que aliança nacional se sobrepõe a questões locais

Participaram da reunião deste sábado quinze ministros. O encontro começou às 10h e se prolongou durante toda a tarde, terminando apenas por volta das 17h. Os ministros fizeram uma avaliação da área social e de infraestrutura do governo federal. Falaram sobre o cronograma de obras em rodovias, portos, creches e ações na área de agricultura

Gleisi Hoffman (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Comunicações) deixam o Alvorada após reunião com Dilma
Agência Brasil
Gleisi Hoffman (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Comunicações) deixam o Alvorada após reunião com Dilma

Se discutiu no encontro a possibilidade de formalização de uma agenda positiva para a presidente com a possível inauguração ou visitas a obras importantes como a Transposição do Rio São Francisco e unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida. Os ministros também falaram na reunião sobre a entrega de equipamentos como retroescavadeiras e a divulgação de balanços sobre o programa Mais Médicos e Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), considerado a porta de saída do programa Bolsa Família.

A ideia do Planalto é fechar um cronograma de eventos com a participação da presidente e, assim, atenuar as críticas da oposição e estancar eventuais avanços da candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Forbes: Dilma cai para 20ª posição na lista de mais poderosos

Oposição: Aécio diz que quem for para 2º turno com Dilma vencerá eleição

Segundo informações da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman, a ideia da presidente é promover outros encontros como esse realizado no sábado para fazer avaliações periódicas. As próximas devem ser na área de agricultura e grandes eventos, como a Copa do Mundo. Gleisi confirmou que a presidente pediu para que toda a equipe “agilize resultados”. "Isso tem a ver com resultado de governo. Um governo é eleito, organiza seus programas, faz compromissos com a população e tem que prestar contas”, afirmou. 

Estiveram no encontro, os ministros de Minas e Energia, Edison Lobão; de Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas; do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; de Relações Institucionais, Ideli Salvatti; de Cidades, Aguinaldo Ribeiro e a secretária das Mulheres, Eleonora Menicucci.

Leia mais: Campos e Aécio podem dividir palanques em até 15 Estados

Também estiveram o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo; Alexandre Padilha, ministro da Saúde; Tereza Campello, ministra do Desenvolvimento Social; Gleisi Hoffman, ministra-chefe da Casa Civil; Aloizio Mercadante, ministro da Educação; Miriam Belchior, ministra do Planejamento; César Borges, ministro dos Transportes; Antônio Henrique Pinheiro, secretário de Portos e Francisco Teixeira, ministro da Integração Nacional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.