Após denúncias, conta de supermercado de Renan cai à metade

Por Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Lista de compras da presidência do Senado está orçada agora em R$ 43 mil. Alguns itens não serão mais adquiridos, como camarão cotado a R$ 115 o quilo

Após uma tentativa frustrada de realizar uma licitação inflada, o Senado cortou pela metade a previsão de gastos com a compra de produtos alimentícios e de limpeza para abastecer a residência oficial do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). No novo edital de compras do Senado, os gastos com o supermercado da residência de Renan, inicialmente previstos em R$ 98 mil, caíram para R$ 43 mil – uma redução de 56%. As compras valem para um período de seis meses.

Conheça a nova home do Último Segundo

Sem fornecedor contratado: Renan paga supermercado do próprio bolso

O procedimento licitatório para abastecer a casa oficial de Renan foi cancelado há um mês, quando o iG revelou o teor da licitação. Na época, o Senado cancelou o certame afirmando ter em vista “medidas de racionalização administrativa adotadas por esta Casa Legislativa e a necessidade de reavaliação dos processos de contratação”.

Agência Senado
Gastos com supermercado da residência de Renan, antes em R$ 98 mil, caíram para R$ 43 mil

Na nova lista de compras de Renan, houve o corte de 82 itens dos 270 inicialmente previstos. A maior diminuição de despesas foi com o açougue da presidência da casa. Somente com a compra de carnes, peixes ou frango, a Casa reduziu os gastos inicialmente previstos em R$ 44,3 mil para pouco mais de R$ 10 mil. No total, dos 42 tipos de carnes, peixes, frutos do mar ou frango pedidos anteriormente pelo presidente do Senado, agora serão comprados apenas 15 itens.

Senado suspende compras de R$ 98 mil em supermercado para residência de Renan

Leia também: Para pressionar Dilma, Renan decide instalar CPI da Copa

Entre os itens cortados, estão os camarões especiais pedidos pelo pemedebista. No procedimento licitatório cancelado, o Senado pretendia gastar R$ 2,3 mil em 20 quilos do crustáceo de tamanho médio. Isso representava uma média de R$ 115 por quilo do produto. O Senado também estimava gastar R$ 2,7 mil em 25 quilos do camarão vermelho “G” – uma cota de aproximadamente R$ 110 por quilo. Também foram suprimidos da nova lista de compras de Renan outros itens como carvão, e carnes para churrasco, como coração de frango e linguiça para churrasco.

Outros itens sofreram redução substancial em sua quantidade, como o filé mignon. Inicialmente, o Senado pretendia comprar 100 quilos de carne, mas agora, o presidente do Senado pretende consumir apenas 60 quilos em um período de seis meses. A casa também reduziu pela metade a previsão de consumo de filé de abadejo (inicialmente eram 40 quilos e agora serão 20 quilos) e pretende comprar apenas 20 quilos de postas de pescada e não mais 50 quilos de filé do peixe, como se estimava na licitação cancelada em outubro.

O novo procedimento licitatório será realizado na semana que vem e, desde o cancelamento do certame inicial, conforme informações do próprio Senado, o presidente da Casa passou a fazer o supermercado da residência oficial com o dinheiro do próprio salário.

Leia tudo sobre: renan calheirossenadosupermercado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas