Integrantes do MPF apuram suspeitas de fraude em licitação para obras de expansão do metrô de São Paulo e pagamento de propina pela empresa francesa

Agência Estado

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cobrou nesta terça-feira (29) explicações sobre a demora do Ministério Público Federal para atender a um pedido de diligências feito por autoridades da Suíça que investigam o caso Alstom.

Conheça a nova home do Último Segundo

Caso Alstom: Justiça autoriza abertura de sigilo de 11 investigados

Além dos suíços, integrantes do MPF apuram suspeitas de fraude em licitação para obras de expansão do metrô de São Paulo e pagamento de propina pela empresa francesa Alstom.

De acordo com informações divulgadas nesta terça pela Procuradoria, Janot enviou um ofício à Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional do Ministério Público Federal para determinar o esclarecimento sobre a suposta demora no cumprimento de pedido de colaboração.

Alvo do caso Siemens foi sócio de detentor de contratos no governo Alckmin

Em nota divulgada nesta terça, o MPF em São Paulo alegou que o pedido de diligências suplementares feito pelas autoridades suíças deixou de ser atendido devido a uma "falha administrativa". "Foi arquivado erroneamente em uma pasta de documentos auxiliares, quando deveria ser juntado ao processo de cooperação internacional principal", argumentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.