Padilha defende 'ação de autoridade' em manifestações

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Ministro da Saúde diz ser contra "qualquer atitude violenta" ao falar sobre os episódios violentos nas recentes manifestações que aconteceram em São Paulo

Agência Estado

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse na tarde deste sábado (26) ser contra "qualquer atitude violenta" ao falar sobre os episódios violentos nas recentes manifestações que aconteceram em São Paulo. Ele defendeu que os manifestantes não optem pela violência e afirmou que é preciso "ter ação de autoridade em relação a isso".

Cotado para concorrer ao governo de São Paulo pelo PT em 2014, Padilha evitou comentar a atuação da polícia paulista nos protestos. No protesto que aconteceu nesta sexta-feira (25) na capital paulista, o coronel da PM Reynaldo Rossi foi agredido por manifestantes mascarados.

"Por um lado, tem que ter a garantia da segurança e da autoridade, para que os cidadãos possam circular, trabalhar, estudar livremente. Por outro, sempre fui uma pessoa que defendi minhas opiniões, vocês sabem que tenho opiniões concretas, e o debate do Mais Médicos expressa isso, mas sou contra qualquer atitude violenta", comentou.

Ele citou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para falar sobre o assunto: "Nunca precisei usar da violência para defender minhas opiniões. O presidente Lula outro dia até falou que por não ter vergonha do que estava defendendo nunca teve de se esconder atrás de uma máscara".

Leia tudo sobre: alexandre padilhamanifestações

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas