Dilma diz que governo cumpre pactos feitos após manifestações de junho

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente criticou violência promovida por alguns grupos em protestos: 'Manifestação é parte do fortalecimento da democracia, mas repudio o uso da violência'

Agência Estado

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira (24) que o governo está cumprindo os pactos assumidos após as manifestações de junho que tomaram conta das ruas do País. Ela, no entanto, criticou a violência promovida por alguns grupos durante os protestos. "Manifestação é parte do fortalecimento da democracia, mas repudio o uso da violência", afirmou em entrevista à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte (MG).

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: Hiperatividade de Dilma em redes sociais revela nova estratégia

Dilma lembrou que estabeleceu cinco pactos. A presidente disse que o primeiro pacto, pela responsabilidade, está sendo "sistematicamente" cumprido, com o controle da inflação, controle fiscal e a garantia de reservas internacionais. "Esses pontos estão garantidos."

Roberto Stuckert Filho/PR
Em Belo Horizonte, Dilma repudiou violência em recentes protestos

Ela disse que o pacto pela reforma política está em processo de discussão no Congresso. "É um processo que vamos continuar defendendo, com aprimoramento de medidas contra corrupção." A presidente destacou ainda os três pactos pela melhoria dos serviços públicos. Ela lembrou do programa Mais Médicos, cujo objetivo é levar profissionais para locais onde a população não conta com esse tipo de profissional.

Dilma disse que, até maio de 2014, 13 mil médicos, entre brasileiros e estrangeiros, deverão atuar pelo programa. "Isso significará o atendimento de 46 milhões de brasileiros."

Lula sobre manifestações: 'O povo queria mais', diz Lula em Portugal

Pesquisadora: O principal alvo dos black blocs é a Copa do Mundo

Dilma disse que o primeiro passo pelo pacto pela educação foi a aprovação da Lei dos Royalties. A proposta estipula que 75% dos royalties sejam destinados à educação e 25%, à saúde. A legislação também prevê 50% do Fundo Social do pré-sal para a educação. Por fim, a presidente afirmou que o governo federal se comprometeu em destinar mais R$ 50 bilhões para a mobilidade urbana. "Nossa avaliação objetiva é de que avançamos muito sim e cumprimos os pactos."

Leia tudo sobre: dilmaprotestospactos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas