Condenado no mensalão é acusado de sonegar o Imposto de Renda

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo o MP, Rogério Lanza Tolentino sonegou informações de honorários e rendimentos que transitaram em contas espalhadas por cinco bancos entre 2002 e 2005

Agência Estado

O advogado Rogério Lanza Tolentino, ex-sócio do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, foi denunciado à Justiça Federal em Minas Gerais por sonegar R$ 6,9 milhões em Imposto de Renda de Pessoa Física. Segundo o Ministério Público Federal, Tolentino sonegou informações relativas a honorários e rendimentos que transitaram em contas espalhadas por cinco bancos entre 2002 e 2005.

Conheça a nova home do Último Segundo

O advogado foi condenado no processo do mensalão que tramita no Supremo Tribunal Federal a seis anos e dois meses de prisão. Ele também responde a processo na Justiça Federal no caso do chamado mensalão mineiro - denúncia de esquema de desvio de recursos de estatais e de fraudes financeiras para a reeleição do então governador de Minas e atual deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB).

Leia também: Ex-sócio de Valério é o primeiro a entrar com recurso no processo do mensalão

Agora, o advogado é acusado de ter declarado valores bem menores do que os que realmente transitaram por suas contas. Segundo a denúncia, ao ser intimado pelo Fisco para explicar as movimentações, Tolentino alegou que os recursos eram provenientes de contratos de empréstimo com a SMPB, mas menos de um terço dos valores tiveram a origem comprovada.

Ainda de acordo com a Procuradoria da República, o acusado também prestou informações falsas ao afirmar que parte do dinheiro seria da distribuição de lucros de sua empresa, Lanza Tolentino & Associados. A empresa, porém, disse que os recursos eram honorários pagos pelo Banco Rural e que o valor foi depositado em contas de Tolentino, mas as investigações mostraram que os recursos foram parar na conta de Marcos Valério. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia tudo sobre: rogério tolentinomensalãomarcos valério

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas