Insistência de Serra pode gerar disputa com Aécio Neves no PSDB

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-governador de SP se animou com pesquisas de voto e viaja pelo País para ser candidato à Presidência em 2014

Brasil Econômico

A questão parecia encerrada, mas lideranças do PSDB admitem a possibilidade de uma disputa interna no partido com a escolha entre Aécio Neves e José Serra para concorrer à Presidência da República. Dirigentes tucanos evitam se manifestar, enquanto avaliam as andanças de Serra pelo País. Ele esteve recentemente em Porto Alegre, em conversa com políticos. Agora, vai à Bahia. Serra tem mandado recados à cúpula do partido de que quer disputar as prévias com Aécio. O ex-governador animou-se com uma simulação em recente pesquisa do Datafolha que o coloca com 25% dos índices de voto, contra 40% de Dilma e 15% de Eduardo Campos (PSB). "Ele está se movimentando. Não está parado", constata um líder tucano em São Paulo, engajado na pré-campanha do senador mineiro.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia outras colunas do Mosaico Político

“Isso pode criar uma dificuldade momentânea para o Aécio”, admite. Para o partido, argumenta o dirigente, o ideal é que haja uma aliança “com São Paulo e Minas contemplados”, por serem os dois maiores colégios eleitorais. O PSDB quer ir unido para a disputa, a fim de evitar desgastes. A realização de prévias está no estatuto e qualquer candidato pode pleitear. Mas não era essa a intenção do partido. Em São Paulo, tucanos aguardam também definições para as alianças. Além das que estão praticamente fechadas - com o DEM, PPS, PTB, PRB e Solidariedade-, o partido busca acordos com o PSB e o PP. A união com o PSB já era certa, até a formação da chapa Eduardo Campos e Marina Silva. O ex-tucano Walter Feldman se filiou ao PSB e quer ser candidato ao governo. Márcio França, presidente estadual do partido, defende o apoio a Geraldo Alckmin.

Chegou agora e quer ir na janelinha

Tucanos dizem que Walter Feldman quer fortalecer seu nome na campanha ao governo para, depois, disputar a prefeitura de São Paulo, em 2016. “Ele chegou agora no PSB e já quer tudo”, diz um ex-colega.

PV lança Natalini em SP

O PV decidiu lançar o médico e vereador paulistano Gilberto Natalini para concorrer ao governo de São Paulo. A indicação recebeu a aprovação dos oito deputados do partido na Assembleia, em reunião na noite de terça-feira (15).

Minirreforma favorece os atuais deputados

O deputado e secretário-geral do PT, Paulo Teixeira, considerou um retrocesso a minirreforma eleitoral e disse que diminuirá a competitividade das campanhas. “Ela favorece os atuais parlamentares”, afirmou. A proposta proíbe cavaletes e cartazes de propagandas nas ruas e placas em casas.

Marina Silva vai à Bovespa

A ex-senadora Marina Silva almoçou ontem com o presidente da Bolsa de Valores de São Paulo, Edemir Pinto. O deputado Walter Feldman disse que Marina expôs sua visão sobre desenvolvimento sustentável e ouviu uma apresentação da diretora Sonia Favaretto a respeito do trabalho da Bovespa nesta área. Este é o segundo encontro de Marina com a elite financeira do país em uma semana.

Regulação da publicidade infantil pode virar lei em SP

Em meio às conversas sobre alianças para as eleições e a campanha para o Diretório do PT, o presidente petista e deputado estadual Rui Falcão conseguiu aprovar um projeto de regulamentação da publicidade de alimentos destinada ao público infantil no Estado de São Paulo. Mas o projeto foi vetado pelo governador Geraldo Alckmin, sob alegação de inconstitucionalidade. Agora, voltou à pauta e pode virar lei.

Luiz Schwarcz, editor da Companhia das Letras, sobre a necessidade de autorização de retratados para biografias: "Pela lei vigente, os herdeiros se transformam em historiadores, editores e, desculpe-me, censores, sim”

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas