Após quase três meses, termina a série "Os 60 mais poderosos do País"

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

O ex-presidente Lula, 2º colocado, está entre os perfis mais comentados; confira o ranking e dê sua opinião

Termina nesta quinta-feira (17) a série especial "Os 60 mais poderosos do País" após quase três meses relacionando os personagens mais influentes do Brasil na política e na economia. Do 60º colocado, o empresário Eike Batista, à 1ª colocada, a presidente Dilma Rousseff, os leitores do iG conheceram a trajetória de brasileiros com poder, influência e prestígio capazes de interferir nos rumos dos negócios, da política, da mídia e dos programas governamentais que contribuem para o desenvolvimento econômico e social do País.

Conheça a nova home do Último Segundo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo colocado no ranking e definido no perfil publicado nesta quarta-feira como o político mais bem-sucedido de seu tempo, está entre as personalidades mais polêmicas da série do iG. Foram quase 1.000 comentários até as 20 horas desta quarta-feira.

Veja a lista dos 60 mais poderosos do País

Entenda o ranking Os 60 mais poderosos do País

undefined
Lula, o 2º colocado entre os mais poderosos

Alguns leitores travaram uma discussão acirrada na página do ex-presidente. São os casos de Rose Mary Galioli, Marcio Alexandre Silva e Jorge Luiz Farias Brito. Os dois primeiros criticaram duramente Lula e os governos petistas, enquanto o último defendeu o ex-presidente com ponderações sobre os avanços do País e reiterando as denúncias de fraude nas licitações do Metrô de São Paulo, Estado governado pelo tucano Geraldo Alckmin. O Bolsa Família foi outro tema que dividiu a opinião dos leitores. Muitos – entre favoráveis e contrários – compararam Lula ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Alguns associaram o petista aos condenados no escândalo do mensalão. E houve quem tratou Lula como mito, o melhor presidente da história, responsável pela recente melhora na distribuição de renda.

O ranking foi elaborado pelo iG a partir de quatro indicadores: Econômico, Político, Midiático e Social. Esses índices radiografam quem são, o que fazem e como fazem os principais nomes da política e da economia brasileira. Ao longo de quase três meses, o iG publicou diariamente um perfil de cada colocado no ranking, em ordem decrescente. Foi possível, assim, mostrar a trajetória de cada personalidade e seu grau de influência no País. O ranking final tem a presença de políticos, autoridades de governo e do Judiciário, empresários e economistas.

Fora o ex-presidente Lula, o perfil mais comentado da série foi o do bispo Edir Macedo, dono da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), na 16ª colocação. Muitos leitores criticaram o texto publicado pelo iG , como Ribamar Sousa e Maria José do Nascimento Marinho, que alegaram “desconhecimento” da biografia do religioso. Foram mais de mil comentários ao perfil, que rendeu trocas de mensagens entre os internautas. Maristela Ramos, defensora de Edir Macedo, respondeu às provocações feitas pelos leitores em relação à cobrança de dízimos e à riqueza do bispo. “Você peca porque julga o que não sabe, vai na onda da mídia e ainda quer usar a palavra de Deus para arrastar outros com você”, rebateu ela, referindo-se a um internauta. Maristela reiterou que os dízimos são “para a manutenção da casa de Deus”. Outros leitores que se pronunciaram falaram em lavagem cerebral da igreja e alguns evangélicos disseram que Macedo não representa sua religião.

O dono das Casas Bahia, Samuel Klein (19º lugar), foi o empresário com maior número de comentários favoráveis e acessos. Há depoimentos de leitores que se disseram ex-funcionários das Casas Bahia e de outros que se lembraram de Klein batendo de porta em porta para vender seus produtos em São Caetano do Sul. Na enquete, o empresário foi quase uma unanimidade: 98% dos votos a favor, contra 2% contrários a Klein. Entre os termos que mais se repetiram nos comentários dos internautas estão “lição de vida”, “mito do comércio”, “fonte de inspiração”, “exemplo de empresário” e “sucesso merecido”.

Outro perfil bastante comentado foi o do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, 25º colocado no ranking. Entre os seus quase 900 comentários, muitos leitores elogiaram o ministro e criticaram o texto do iG dizendo que não faz jus à personalidade. Houve quem cobrasse de Barbosa a candidatura à Presidência: “Se fosse candidato a presidente teria meu voto, pois demonstra transparência, honestidade e compromisso com a dignidade”, escreveu João Schubert Neto. Algumas vozes chamaram Barbosa de “destemperado”, “autoritário”, “pouco elegante”, “arrogante” etc. Na enquete, o presidente do Supremo teve 480 votos a favor e 71 contrários.

Leia tudo sobre: série do igos 60 mais poderosos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas