Lupi assume comando do PDT paulista

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento |

compartilhe

Tamanho do texto

Diretório pedetista sofreu uma espécie de “intervenção branca”; Paulinho da Força deixou o partido ao criar SDD

Brasil Econômico

Presidente nacional do PDT, o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi é também o responsável pelo partido em São Paulo, desde o dia 1º. O diretório pedetista sofreu uma espécie de “intervenção branca” e Lupi se autonomeou presidente. A direção nacional assumiu o comando em razão de os dirigentes anteriores terem migrado para o Solidariedade, o partido criado pelo deputado e então presidente estadual Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força. Os mandatos de Paulinho e os outros dirigentes venceram no dia 1º. e eles saíram sem sequer dar um aviso, afirmam pedetistas. “O partido não podia ficar acéfalo e sem direção. Por isso, o Diretório Nacional assumiu e montou uma comissão provisória”, explicou Lucio Ricardo Maluf, membro do diretório nacional.

Leia outras colunas do Mosaico Político

Em setembro: Para evitar controle de Paulinho, Lupi vai assumir PDT-SP

Lupi deixou o governo Dilma em 2011, após várias denúncias de irregularidades. Havia suspeitas de que assessores do ministro cobravam propina de ONGs. Ele também foi acusado, na época, de viajar a cidades do Maranhão em avião providenciado por um empresário que prestava serviços ao governo. Além de Lupi, foram indicados para a comissão provisória do PDT o seu ex-assessor e chefe de gabinete quando ministro Airton Costa Amaral; Marcelo Panela, outro assessor envolvido nas denúncias; e o ex- prefeito de Limeira Silvio Felix, cassado por causa de denúncias de corrupção. Também fazem parte da comissão os deputados estaduais Major Olímpio e Rafael Silva, e o ex-presidente da Assembleia paulista Carlos Apolinário. Este ano, um novo esquema de desvio de recursos de verbas do Ministério do Trabalho foi desarticulado pela PF. O ministério continua ligado ao PDT.

Só na Bolachinha

Nenhum ministro poderá usar jatinhos da FAB no final deste mês (entre os dias 26 e 29). Por decisão da presidente Dilma, os ministros receberam um comunicado de que as aeronaves oficiais nesse período ficarão á disposição do programa Mais Médicos.

PSDB organiza ato contra IPTU

A bancada do PSDB na Câmara Municipal de São Paulo está convocando os moradores da cidade para um ato contra o “aumento abusivo” do IPTU amanhã, às 11 horas, no prédio do Legislativo.

Aumento chegará a 45%, dizem tucanos

Os tucanos dizem que o aumento é abusivo e pode chegar a 45% para imóveis comerciais e 30% para residências. O aumento médio para residências será de 18%. A prefeitura afirma que os valores estão defasados.

Paulo Bernardo, ministro das Comunicações: "No Brasil, ninguém vota por causa do vice. Hoje Marina diz nos jornais claramente que pode ser candidata"

Senadora vê “agressividade e radicalismo” em Marina

A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), presidente da Confederação Agricultura e Pecuária do Brasil, saiu ontem em defesa do deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), “convidado” por Marina Silva a retirar seu apoio a Eduardo Campos. “É com indignação que nos deparamos com o radicalismo e a agressividade da pré-candidata contra um homem de bem”, diz a senadora. “Marina leva a calúnia e a difamação à campanha quem mal começou, quando todos sabemos que uma disputa presidencial requer dos candidatos serenidade e equilíbrio”.

Dilma foi dura com Campos, admitem petistas

Políticos governistas atribuem a resposta política dada pelo governador Eduardo Campos (PSB), ao se aliar a Marina, a uma autossuficiência do Planalto. Dizem que as últimas conversas de Dilma com Campos foram “muito duras”. O governador ficou magoado. Ele foi falar com a presidente quando dizia estar sendo pressionado por petistas.

Leia tudo sobre: mosaico políticocarlos lupi

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas